Entrevistando Enki

1- QUEM O CRIOU?
Para começo de conversa, meu nome não é Lúcifer e muito menos Diabo. Tais nomes foram inventados para implementar uma política dualista na religião. Se você quer continuar me avacalhando, tudo bem. Pode continuar me chamando de Satã, mas, por favor, veja a origem desse nome e mais, por gentileza, traduza-no e, aproveite para saber de onde vem a palavra Deus, e o que significa…
-Quanto a quem me criou, trata-se de uma pergunta para retardados mentais. Na verdade ninguém me criou p…. nenhuma. Sou que nem qualquer coisa viva. Sou meramente um produto da evolução, fui feito e parido que nem qualquer ser humano, ainda que, numa época muitíssimo anterior á de vocês.

 

2- COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?
Não é P. nenhuma que falaram aí! Que saco! É culhudaria, gente. Culhuda braba! Na verdade, eu tive infância, tive pai, e mãe. Nunca fui símbolo de perfeição nenhuma. Admito até a sapiência, mas formosura. Qual é de mesmo? Tá querendo tirar é?
-Essa pergunta idiota já foi respondida, é praticamente a anterior. Por resposta errada, tenho que dizer…
-Minhas roupas feitas de pedras preciosas… Eu não agüento. Eu uso o que vocês usam nos seus afazeres. Esse negócio de roupa cheia de pedraria não é comigo não. Por acaso vocês já me viram em algum baile á fantasia, desses de segunda feira de carnaval? Qual é?

3- ONDE VOCÊ MORAVA?
Onde eu morava? Que p…. de onde eu morava é essa? Não estou morto não! Estou na minha casa aqui no meu planeta. Aí na Terra, eu morei em vários lugares e gostava de Eridu (foi eu quem fundou essa cidade, nosso primeiro posto avançado aí, há mais de 436 mil anos atrás) e de Tatenen (que bem depois, e ainda respeitando o meu nome, passaram a chamar de Egito sem nunca dizer que o nome significa O Tempo do Espírito de Ptah), e mais, nunca caminhei em nenhum brilho. Essa p…. de brilho, foi inventado por vocês, e isto, porque nunca se conformam com pouco barato. Tenho que falar?
-Nosso pessoal aqui também gosta de se drogar legal, porém, é com álcool. Aliás, com a cerveja, que eu leguei para vocês (como se bem pode ver no Egito Antigo) e com vinho, que aliás, eu não “administro” bem, ainda que tenha que dizer que essa bebida é legado do meu irmão. É só ler a Bíblia lá em Gen. IX. Ler e entender. Aliás, Se lessem eu não estava aqui perdendo tempo…

4- QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?
Mais conversa mole! Mais pergunta besta!
-Na verdade não é nada disso. Eu nunca fui Querubin (é mais uma confusão!) de guarda nenhuma, nunca guardei nenhuma Glória nem conduzi louvor de “anjo” algum. E, (toda vez é isso, a mesma ladainha!) com relação a esse nome alternativo aí, Lúcifer: eu nunca carreguei nem portei p…. de luz nenhuma porque sempre tive gente qualificada para isso (carregar coisas). A propósito, você tem algum crachá meu, me identificando como funcionário de alguma Concessionária de Energia Elétrica? Nunca param de me desqualificar, de encher o meu saco com besteira…
-Toda vez é isso. Uma manada que se alimenta de alfafa por não saber escolher o que come e eu tendo que dar remédio prá dor de barriga. Vamos esclarecer esse negócio de uma vez…
-Meu nome é Enki, ainda que me chamem por outros nomes como Ea, Enki, Ptah, Olekum, Poseidon, Netuno…
-Eu era chefe da galera toda, mais aí, puxaram meu tapete e, de sacanagem nunca deixam que vocês leiam essa parte da História, e pior: não permitem entendimento aos que leram. Há muito a ser esclarecido e eu nada posso fazer senão tentar…
-Eu era o responsável direto por um vasto empreendimento aí na Terra. O tal, o dito cujo, era relacionado com mineração de ouro. Esse ouro era purificado e depois reduzido ao máximo, digo refinado ao máximo, á estrutura molecular. Sei até que vocês não entendem isso, é alta tecnologia que não vem ao caso explicar aqui. No entanto, posso dizer o porquê do ouro…
-Era para resolver um problema de extrema gravidade: o nosso planeta estava progressivamente perdendo a atmosfera e o ouro era para ser espalhado na mesma. Não gosto de botar medo em vocês, porém, tenho que dizer que isso foi devido a nossa excessiva atividade industrial. Vocês estão com problema parecido e poucos realmente estão se importando. Tenho que dizer uma coisa  certa: o descaso ambiental vai ferrar o seu planeta, ou melhor, já está ferrando e poucos estão sabendo!

5- ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?
O que, rapaz ? Naqueles tempos? Você não sabe de nada!
-Faltava sim, e como. Para começar, era um trabalho exaustivo, de longa jornada e num lugar estranho a nós. A atividade era o que vocês qualificam como trabalho escravo e o local (de trabalho), dada as condições, era o que aí (por “engano” deliberado) você qualifica como o inferno. Está ruim não é? Também, faltavam mulheres e isso, era um problema grave. Não somos assexuados, nem andamos batendo asinhas por aí. Se é que você está entendendo o que estou a dizer. Só aí, dá pelo para ver o “diabo” do problema que eu tinha que enfrentar em cada temporada, que aí na Terra, demorava 3600 anos. Pense aí, 3600 anos!

6- O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?
Não foi assim. Não é nada disso e ainda dizem que eu sou o pai da mentira!
-Nunca sobrepujei ninguém, não preciso, não é o meu perfil e você nem entende. Gabriel e Miguel são gente boa, nunca tive atrito com eles, o problema era com o meu irmão e, tenho que esclarecer as coisas ainda que pelos erros gramaticais (os meus, eu assumo!) tenha que dizer que não sou o responsável por isso aí em cima. Para responder isso, essa pergunta, eu tenho que ir “falando” o que de fato aconteceu…
-A produção de ouro (que inicialmente era extraído das águas do Golfo Pérsico) não apresentava os resultados esperados, daí, fizemos prospecção no solo de vários continentes e o lugar mais promissor era o sul do continente africano.
È meu amigo, lá mesmo, na terra do ouro (no Abzu). Lá, as condições de trabalho pioraram sensivelmente. Tranquilamente, posso dizer o que se sucedeu…
-As condições eram a que vocês chamam de trabalho precarizado e para complicar, a produção nunca era o suficiente. Por esse motivo, e só por esse motivo, é que o meu irmão resolveu visitar a Terra do Ouro. Ele queria ver o que de factualmente ocorria. A presença dele acirrou ânimos, houve uma greve e ele queria punir de forma radical o pessoal envolvido e só não o fez porque o meu pai, An (também conhecido como Anu, Urano e de forma ignorante, Céu…), principal líder do meu planeta natal, informado sobre as condições do nosso trabalho, atendeu o que se pedia (que basicamente se reportava a mais turmas de operação com revezamento e um lugar para descanso) e não permitiu punições. A humanidade podia saber disso se lesse. Esse é o problema…
Eu não sou afeito á críticas, porém, não posso me furtar á verdade: a maioria de vocês não gostam de ler, preferem “packs” e mesmo (na maioria das vezes!) quando se aventuram, não se aprofundam no assunto. Ainda assim, de qualquer forma que se leia, isso está inserido na no contexto “mitológico” dos antigos povos das terras entre os dois rios (Senaar na Bíblia, em Gen II, por ex.).
-Ah, sim. Meu irmão Enlil… Ele é um Administrador extremamente competente, mas não um Técnico. Ele não podia entender de trabalho, digo das especificidades técnicas de um trabalho em condições de extrema anormalidade. Não podia mesmo. Para ele o que importava era o resultado, o ouro. O ouro que salvaria o nosso planeta!
De qualquer forma, para descontrair, eu gosto de dizer que o meu retrato deveria estar no Hall de todos os sindicatos (de trabalhadores deste seu planeta, claro!) porém não é bem isso o que acontece. Daquí, eu via você se ferrando quando tentava falar neste assunto.

7- O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?
Quáquá,rá,quáquá. “Eita” mentirazinha safada da gota serena e ainda, com a mesma pergunta xexelenta…
-Seo moço, fico até envergonhado. Já expliquei aí em cima e tenho que explicar de novo. Mais…
-Sobre o que “detonou a rebelião” foi o que já citei para uma mesma pergunta: precarização do trabalho, trabalho precarizado. Quanto á “minha criação”, tenho que repetir: ele não me criou não seo moço. Ele não pode fazer isso. Ele é meu irmão e eu sou mais velho que ele muito embora ele seja o CGPT por questão relacionada á sucessão do meu pai. Essa coisa é meio complicada para explicar. Se der, eu falo mais tarde sobre…
-Quanto a vocês, humanos, fui eu! Eu e minha irmã, ainda que o termo não seja o adequado. Não os criamos, demos sim, imagem e semelhança a você, que na verdade, são muito parecidos com a nossa gente. Devo até dizer: vestido como vocês, qualquer um de nós passa despercebido, se bem que, talvez, alguém estranhasse a nossa pele estranhamente branca, digo, pálida (nosso mundo é extremamente frio por causa da enorme distância que estamos do Sol e vocês ficam aí chiando á toa quando faz um solzinho!) e cabelos compridos da cor de prata. Talvez até reparassem pela nossa estatura um pouco anormal já que gente de 2.0/2,20m de altura não é coisa assim, tão comum no meio de vocês. Vou simplificar a coisa: qualquer elemento grandalhão que não seja vítima de problema na hipófise, que tenha sobrancelhas fechadas, cabelo “prateado” e pele excessivamente “branca” pode ser qualificado como “Elemento Suspeito”, recém chegado. Entendeu? Lamento que isso vá servir de alento para os nazistas de plantão. Eles não “sabem” que quem determina o homem é o meio no qual ele vive. Nós como qualquer organismo vivo nos adaptamos ao meio em que vivemos. Acredite. Aí nossos genes ordenam produção de melanina, mas sempre tomamos medicamentos para nos proteger da radiação solar que provoca câncer de pele tanto em nós como em vocês. É isso, biologia básica e vocês cultuando idéia de raça…
-Com nossas roupas cerimoniais, o nosso pessoal infligia medo e pavor a alguns de vocês. Por ex, o meu sobrinho, Shamash, gostava de se vestir de “Águia” (isso porque ele sempre estava envolvido com Atividades Espaciais), Ishtar, (também conhecida como Inanna, Astarte, Vênus, Afrodite…), “problemática” como sempre, gostava de militarismo e aí, desfilava um look de guerreira armada até os dentes, quando não, de Aeronauta ainda que também adorasse andar em pêlo.
Marduk (conhecido também como Rá e Merodach) e alguns outros do primeiro escalão possuíam aeronaves particulares. Eu, porque sempre desenvolvia atividade relacionada com o mar, utilizava “roupa” de mergulhador tanto que no Golfo Pérsico, me retrataram como um homem-peixe. Homem-peixe é demais. Dá para imaginar um cara andando por aí sacudindo as barbatanas. Mentaliza, cara!
-Sacudindo as barbatanas e ainda balançando o rabinho! Aí, já é demais, e tudo devido ao desconhecimento á respeito de certas informações. No caso, eu nem culpo Berose. Ele era um sacerdote babilônico tardio que escreveu uma História Antiga (cujos fragmentos chegaram a vocês através dos gregos) contendo vários equívocos somente desmentidos quando os “originais” foram traduzidos. Ironia do destino: foi estudando cultura grega que muita gente chegou a Berose e entendeu (por associação de idéias) que os homens peixes da “antiga” terra entre os rios somente poderiam ser mergulhadores. Impressionante ou irônico: eu e mais seis iguais a mim entrando a noite no mar e saindo pela manhã, lá no Golfo Pérsico, para ensinar a plantar, a criar gado, a tratar metais e vocês…
-Me chamando de divindade anfíbia por desconhecerem um banal submarino. Berose. Tudo bem, mas você… Precisa estudar tecnologia e mais, aprender a associar idéias…

8- O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?
Bem, primeiro é que nem foi bem assim: ninguém foi expulso de lugar nenhum. Ninguém fundou império algum. Segundo: esse negócio de anjo sempre foi voz discordante. Ninguém aqui anda batendo asinha prá lá e pra cá. Podemos voar (já falei!), porém, mediante meios mecânicos.
Desprolixando…
-Os ânimos estavam mesmo exaltados e o meu pessoal queria mesmo pegar meu irmão. Greve é greve e eu era peça importante naquele movimento paredista e mesmo assim, não podia admitir aquela situação que me obriga a perguntar: deveria ser eu (ou não?) o patrono dos Sindicatos Operantes do Planeta Terra? Pois é…
-Ainda que eu seja na maioria das vezes visto e (eu tenho minhas razões!) entendido como um opositor á Enlil, eu nunca vou negar que ele é meu irmão, e (não por algum poder especial) um importante liderança interplanetária. Dá para ver então? Dá para ver para quem sobrar? Em definitivo, dá para ver quem tinha que encontrar solução para o problema?
-Eu sei que vocês, grandes especialistas em História vão se retar com a minha cara sem que eu possa fazer nada e ainda assim, eu tenho que falar porque o meu lema é Tudo em Nome da Verdade. Aliás, não são vocês que vivendo a negar passam a vida dizendo que tudo tem que ser dito e bendito?
O que dizer se por mentira, vocês não passam de mero retrato da verdade?
-Não sabem o que faz e eu ainda desculpo por algo bem simples: sempre espero que tudo fique bem…
-Naqueles dias pelos nossos acampamentos passeavam umas criaturas curiosas, arredias, um tanto parecidas conosco. Um tanto parecidas, mas nem tanto, entende? Para que mentir, se algumas delas a gente até adotava como mascote?
– Elas estavam em processo evolutivo pelo qual havíamos passado antes (muitíssimo antes), no nosso planeta, e aí, eu tive a idéia…
Eu tive e propus a idéia a minha irmã: vamos “evoluir”, apressar a evolução dessas criaturas?
-Conhecedora extrema dos mecanismos da Genética, assim como eu, ela topou na hora sabendo que era um desafio á altura do nosso conhecimento científico. Para que mentir? Para que ocultar os fatos? Porque não á verdade?
– O meu irmão não entende nada de bio-tecnologia. Sem ser gabão, tranqüilamente digo que nesse campo Enlil nem é Mané, é Otacílio!
-Antes mesmo de comunicar oficialmente tal idéia ao Conselho dos Sete que Julgam e Decidem, a gente já vinha fundindo espécies diferentes para ver o que acontecia. Se vocês acham isso antiético, tudo bem (seus cientistas vão fazer a mesma coisa, se é que nas entocas já não o fazem!) era uma forma de matar o tempo que, eu também matava pescando, bebendo cerveja e… vocês nem sabem: todo mundo que estuda, que se dá á pesquisa, que tem paixão pelas águas e meio ambiente, que são doentes por cerveja, que são furunfadores incondicionais, que odeiam injustiça, que são honestos acima de tudo, estão associados a mim e a frente, vocês saberão o por que desse porquê.
De erro meu, admito relacionamento sexual com a minha meia irmã, coisa que me irmão também fazia, mas disso, para não estropiar o raciocínio, vou deixar para falar adiante, se ele não quiser…
-Vocês não sabem o que é criar vida, a maioria de vocês nem sabem o que é tirar onda de “deus”…
-É o maior barato fundir células reprodutoras de espécies diferentes. Matéria prima (me desculpem o termo) era o que não faltava, criávamos verdadeiros monstros. Era o maior barato, pura diversão para nós. Diversão e experiência, claro!
Depois de testarmos as possibilidades, e foram várias, vimos que a mais promissora daquelas espécies era aquela que o pessoal (não os burros de plantão) da Antropologia Física chama de Homo habilis. Isso até que eu gosto de dizer: dentro da escala evolutiva, ela estava muito acima do que vocês aí chamam de “habilis” e mais, existiam várias espécies, o que, consequentemente, dariam origem a várias espécies de homem. Dá para você imaginar o problema social decorrente da situação?
Pois…
-Misturar células reprodutoras de espécies diferentes para ver o que dá é a maior moleza, forjar uma nova espécie, com a nossa essência, aí é rabo, bronca. É a maior merda!
-Pois é: capturamos uma fêmea de “habilis” e a mantivemos como se fosse a nós mesmos. Como se fosse uma fêmea da nossa espécie. Alimentação nossa, procedimentos médicos nossos, medicamentos nossos, entenderam?
-Ao mesmo tempo purificamos a essência de um dos nossos rapazes. Aí, quando a “habilis” estava pronta, ovulando, entende?
-Retiramos o óvulo e, o fundimos ao espermatozóide (dizem que foi o meu, e eu, nem tô aí! Não foi!) e, bingo. Clonamos o óvulo e o implantamos nas nossas fêmeas…
-Por vezes, eram 14 por vez, sete partejando machos, sete partejando fêmeas, e isso, por longos anos (se vocês tivessem lido, eu não estava aqui, explicando). Sabem? Fertilização in Vitro, entende?
-Meio a contragosto, Enlil viu que todo o nosso trabalho progressivamente passou a ser executado pelo ser humano. Uma beleza! Ah, você não acreditam mesmo e não pode acreditar…
-Quanto mais a gente produzia e refinava ouro para ser aplicado na atmosfera do nosso planeta natal, mas a gente precisava de mão de obra, aí,
ato contínuo, repetíamos o processo.
Como fazer acreditar que os primeiros vocês eram híbridos? Como fazer acreditar que híbridos (“burros” e mulas em geral sabem muito bem disso) não se reproduzem? Tenho que dizer isso, que qualquer analfabeto em biologia tá de saco cheio de saber? Pois é!

ESSA RESPOSTA ESTÀ FICANDO MUITO GRANDE…

Pois é! Estou resumindo á opera e você com sua mania de resposta fácil já está reclamando…
-Graças aos primeiros vocês, produção de ouro ia de vento em popa lá na África do Sul (rapaz, me dizem que até hoje vai!) e ao mesmo tempo na terra entre os rios (em Bad Tibira), sobrava ouro para ser beneficiado, o que, provocava atraso de envio das remessas deste metal estratégico ao nosso planeta. E isso nem é nada. Lá, o pessoal ainda tinha que executar “n” tarefas outras como regular o curso do Tigre e do Eufrates e isso, gerava insatisfações incríveis!
-Meu irmão Enlil, o Senhor do Comando, o CGPT (como vocês gostam de qualificar quando estão a fim de sacanear um chefe) foi ver o que acontecia, chefes são assim mesmo, somente se importam com os resultados. Por milênios, eu canto á insensatez dos deuses…
-Na verdade, ele queria levar os meus trabalhadores para Senaar…
-Ele queria e eu não queria que fossem levados. Por isto…

-Eu tranquei minhas criaturas na mina,
com as minhas criaturas, eu me tranquei,
na mina, eu, meus amigos, meus lulu amelu.
E Enlil, Enlil! Enlil, trouxe Alani,
a força suprema de Alani…

-Suprema, a força de Alani,
Um rasgo no seio da mina, fez.
E Enlil viu minhas criaturas,
e Enlil chorou quando viu minhas criaturas,
e Enlil profanou nosso sangue,
e, foi por querer minhas criaturas,
e Enlil levou muitas minhas criaturas.
Para as terras entre os dois rios, ele as levou…
-E eu, não odeio Alani…
-E eu, não odeio Enlil…

-E a Bíblia (Gen. II), ainda diz que o “Senhor” tomou o homem e o colocou no Ed-in para que zelasse e guardasse” sem dizer onde o homem estava, sem dizer de quem tomou, sem dizer que tomou de mim…
-E eu, não odeio a Bíblia…
-Ele, Enlil, nem via: as meninas já tinham começado a se retar com esse papo de “Deusas do Nascimento” e aí, sobrou para mim e para a minha irmã, Ninhursag, também conhecida como Ninti ((Ela que dá a Vida, Senhora da Vida) entre outros tantos epítetos), que sendo uma das tais “Deusas” já não agüentava mais a situação…
-Lá na terra entre os rios, Ele nem “via” os primeiros vocês, não via que eles aprendiam facilmente tudo o que o que a gente ensinava, e mais, ele nem via que em alguns casos, alguns dos primeiros vocês se relacionavam sexualmente com o nosso pessoal.

Eu não posso mentir. Quem gosta de mim não mente, a menos, que desconheça a História ou que dela não queira saber…
-Sem que ele soubesse (e vocês já devem ter percebido que não temos poder de saber o que um outro anda fazendo!), decidimos fazê-lo, decidimos dotá-los de capacidade reprodutiva, torná-los factualmente como nós mesmos, entende?
Vocês sabem. Adamah e Chava (Adão e Eva). Sabem? Pesquisas com células-tronco. Sabe? Eu sinto muito!
Tão iguais a nós, se reproduzindo, sabe?
Compatíveis sexualmente conosco, sem hibridização, sabe?
Deu um trabalho danado, mas fizemos. Fizemos em Eridú porque lá o meu laboratório de biotecnologia era bem melhor equipado, “N” vezes acima da tecnologia que vocês, começando agora, ficam chamando de Tecnologia de Ponta…
-Ele, Enlil, se retou! Mandou me encarcerar, queria me ferrar no Conselho dos 7 que Julgam e Decidem. Irado, esqueceu que eu sou um dos 12 (doze horas para o dia, 12 outras para a noite, 12 meses do ano, 12 Apóstolos de Cristo, 12 Tribos de Israel, 12 corpos celestes principais no nosso sistema solar, 12 Deuses Principais)… Sabe?
-Eu acho que a raiva dele foi o fato de eu ter utilizado a minha própria essência no processo. Eu acho, não! Não tenho certeza. Marcadores genéticos influenciam por “N” anos e vocês ainda discriminam albinos dizendo que eles o são por possuir genes recessivos. Ah, sim!

-Eu fui absolvido explicando que não era justo as mulheres se submeterem ao contínuo desgaste do partejar e que era um contra-senso deixar que astronautas e técnicos se desqualificassem num trabalho não compatível com a formação que tinham. E ainda me escroteiam, é preciso esclarecer mais!
No passado existiam várias espécies de Australopitecus e uma delas (o africanus) originou o “habilis” e outras variantes Homo seqüenciando a evolução das espécies humanas. É incrível ver como essa engrenagem funciona: os que mais se adaptam ao meio sobrevivem, os que não se adaptam simplesmente desaparecem, ainda bem!
Já pensou?
-Se hoje houvesse várias espécies de humano? Já pensou na nossa mãozinha? Já pensou?
…Vocês e uns Neanderthais “primitivos” em Broken Hills (Zâmbia), No Monte Carmelo e Kafzeh (Israel), no Vale de Neander (Alemanha) em Gibraltar, em Val Camonica( Itália), Lapedo (na velha Ibéria) em Shanidar (Iraque), em La Chapelle-aux-Saints (França) Mais…
-Você e uns “Erectus” na Ásia, Nasoropa, sem querer admitir que os mais antigos genes humanos são “made in Africa”?
Ora, Senhor! Darwin estava quase 100% certíssimo quanto a Origem das Espécies, quase 100% há que se admitir que é um bom alento para as pretensões da humanidade…

9- COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?
Mais mentira camarada? E eu tenho que encarar numa boa? Vocês humanos são como qualquer um de nós e ainda assim eu não consigo acabar com essa palhaçada…
-Porque carga d’água vou invejá-los, ou odiá-los se basicamente, vocês são nós, da mesma forma que somos vocês. Vou insistir. O problema é que inventam um monte de dança e vocês nem se dão ao luxo de olhar a música que tocam…
Isso já devia estar entendido. Eu em tudo sou semelhante ao meu irmão, a vocês e aí, tenho que esclarecer…
Esse papo de semelhança não é verdade. Essa estória de atravessar parede, estar em dois lugares ao mesmo tempo, de não comer (no bom e no mau sentido!), de não beber, não passa de trolóló. Ademais, não andamos á velocidade da luz (Einstein até já disse, e com toda certeza, que matéria acelerada a velocidade da luz se converte em energia). E mais…
Não somos imortais e, ainda que em relação a vocês tais situações sejam tidas como verdadeiras, sinto-me na obrigação de dizer que as Leis da Física e da Biologia são universais, portanto, as mesmas para entes físicos (se quiserem o termo Entidades Biológicas Extraterrestres, tudo bem!) como nós e vocês. Leiam o Gênesis, o Êxodo, e o livro de Josué. Entre outros livros da Bíblia, esses livros pormenorizam o que estou dizendo. E mais, mais uma vez…
-Da minha essência eu criei vocês e, portanto, não posso odiá-los. Eu nunca quis destruir ninguém e não existe nenhum motivo para eu invejá-los. Se fosse para fazer queimação, eu até diria que isso sempre foi vontade do meu irmão, Contudo, mas, todavia, porém…
-Como vocês foram feitos “a nossa imagem e semelhança” vocês são compatíveis sexualmente conosco, e isso (desculpem-me a chuleza do termo, mas esse é o mais apropriado), deu numa tremenda putaria.
A Bíblia até cita: vendo que as Filhas do Homem eram muito belas e formosas os Filhos de Deus as tomaram como mulheres (Gen. VI.). Está ai uma verdade verdadeira que precisa de um complemento: havia também filhas de “Deus” e elas, tomavam homens e partejavam filhos e estes, assim como os outros eram normais como qualquer criança. A diferenciação, somente dependia da proximidade que ela tinha do nosso povo e eu até digo como isso era feito. Alimentação adequada, medicina avançada, terapia genética com acompanhamento constante (isso já me disseram que vocês já estão fazendo aí), conhecimento técnico/científico e nada mais.
Tenho que insistir: negaram a história e ainda escreveram errado para dar baratino, para manipular, para escravizar mentes vazias, mas deixe eu prosseguir para mais uma vez poder ajudar…
– Há uns 12 mil anos de vocês, a terra passava por mudanças climáticas, igualzinho a essa que está ocorrendo agora. Tenho mesmo que dizer: a maioria de vocês nem sabe más já me disseram que entre vocês já tem gente se preparando para o pior. Pois é…
-Naqueles dias o clima se tornou seco, a aridez tomou as terras fazendo com que a agricultura se tornasse impraticável. Agricultura e a pecuária, devo dizer. A água, tinha se tornado escassa e a fome, imperava a tal ponto que casos e mais casos de canibalismo se disseminava entre os humanos. Ninguém fala a voz do meu irmão: “Que pereçam pela fome!”
-Enlil, nada fazia para por um fim naquele tormento, ele apostava no fim da humanidade e via na mudança climática uma forma limpa de conseguir seu intento e os motivos, são os mesmos citados e já recitados: união sexual entre humanos e “deuses” e a defesa da proposta do planeta Terra se tornar o nosso definitivo lar, coisa que sempre fui contra ainda que tal proposta, reacionária, faça sentido, o que, me obriga a uma explicação por em detalhes pormenores, o que momentaneamente, vai alterar o rumo dessa prosa e o pior, vai exigir umas respostas relativamente complicadas por simples, digamos assim, conhecimento científico de quem ler essa entrevista. Eu posso subverter?
CLARO, QUEM SOU EU PARA DIZER NÃO?
-Se eu perguntasse o que é uma estrela, quem iria dizer que estrela é um reator nuclear que converte Hidrogênio em outros elementos químicos mais pesados que ele?
-Se eu perguntasse o que acontece quando uma estrela queima todo o seu Hidrogênio, quem iria dizer que não é bem assim, que depende do padrão da estrela, quem iria dizer que mesmo no fim da sua Sequência Principal uma estrela como o Sol pode possuir uma considerável disponibilidade de Hidrogênio nas suas camadas mais externas?
Vê? As coisas não são fáceis de entender e olhe que existem estrelas com massa muitas vezes maior que a do Sol (Sol=1m). Essas queimam tanto Hidrogênio que acabam “explodindo” antes da hora em função do imenso valor de temperatura de Núcleo. Pode parecer irônico dizer que essa é a nossa sorte: essas estrelonas de vida curta (1~5 M.A.) normalmente são as mães daquelas que “vivem” 10B.A. como o nosso Sol. É, por hora, é isso que precisa ficar entendido?
-ACREDITO QUE SIM…
Pois é, pode acreditar que não!
-As imensas ondas de energia liberadas na explosão desse tipo de estrela, que particularmente eu gosto de chamar de superhipergigante (há poucos dias vo-
cês registraram uma com 250MS), pode, pela proximidade relativa, desestabilizar estrelas menores e seus sistemas planetários. Isso pode ter sido o que aconteceu com o nosso Sistema Solar ainda que eu não possa descartar a hipótese de um planeta se formar á revelia (isto é…), sem estar atrelado a uma estrela.
Complicado? Ficou entendido? Conjecture á vontade, porém, sabendo de antemão, que quanto á interação entre o meu planeta e o seu, eu posso falar a vontade. Isto, se você permitir!
-CLARO, QUEM SOU EU PARA DIZER NÃO?
-Independentemente de conjectura, o fato é que por milhões e milhões e milhões de anos o nosso planeta vagou pelo vazio interestelar até que um dia foi atraído pela força gravitacional de um outro, orbitalmente submetido ao Sol.
Esse planeta, que chamamos de Nudimud (um dos meus epítetos), e vocês, atuais, de Netuno, atraiu gravitacionalmente o nosso quando há muito o Sol já tinha definido o seu sistema planetário que na época possuía uma configuração bastante diferente da atual, alterada que foi, graças, digamos assim á nossa “intromissão”. Essa parte da história, que deixamos como nosso legado á humanidade é de conhecimento da maioria de vocês, ainda que indiretamente, através da Bíblia. Ah sim, antes de subverter, eu, estava falando do que mesmo?

‎-DO FIM DA HUMANIDADE…
-Ah, tá!…E ainda dizem que existe um criador e que eu sou o poderoso Filho do Criador…
-Ah, sim!
Diante da calamidade eu sempre dava um jeito de conseguir alguns suprimentos para os meus seguidores e isto somente porque não havia nenhuma condição de alimentar a todos. Isso era fonte de vários atritos entre eu e o meu irmão e disso quase ninguém fala…
-Ninguém fala que ele planejou exterminar um certo número de varões e esterelizar mulheres. Ninguém fala que o principal motivo da raiva dele era o fato de nosso povo se relacionar sexualmente com os antigos vocês. Ninguém fala, só por isso eu repito…

-Por causa da mudança climática havia risco das geleiras do Pólo Sul (da Antártida, entendem?) se desestabilizarem (como está acontecendo agora, entendem?).
Era o meu pessoal quem respondia pela monitoração do clima. Trabalho facinho, facinho quando se está orbitando a Terra numa gigantesca estação espacial prá lá de super equipada com o melhor da nossa tecnologia. Devo até dizer que essa plataforma era a ponte entre o nosso planeta e a Terra, que nossas naves maiores vinham do nosso planeta e acoplava na plataforma e que as menores faziam o transporte regular. Rapaz eu tenho um orgulho danado de vocês: colocaram uma em órbita (é pequena, tudo bem, mas adequada as suas necessidades) habitada e com revezamento de pessoal…
-Bem, o pessoal que cuidava da plataforma eram eles, os Igigi (traduzido ao pé da letra, os que vêem e observam, astronautas, não é mesmo?), eles eram os responsáveis pelo envio do ouro para o meu planeta. Eram eles que me respondiam as perguntas. Eu somente dizia quando ia chover ou “fazer sol”. Era o maior barato essa onda de “Senhor do Tempo” tanto, que até entre nós havia quem acreditasse, simplesmente por desinformação. Incrível, inacreditável, não é?
-Fiés a mim, somente a mim, os Igigi me informaram, eu dei o alarme, eu alertei sobre o que estava para ocorrer. É mais uma parte da História que a maioria de vocês nem acreditam. Não podem, porque não deixam…
-Eu falei aí em cima que o período orbital do meu planeta é de 3600 anos e, não falei que ele, na complementação da órbita ocasionalmente pode se aproximar da Terra (isso, claro, a depender do momento orbital de vosso planeta). Não falei que quando isso acontece, a influência gravitacional desestabiliza a Terra, e aí, acontecem pavorosas catástrofes que simplesmente ceifam vidas humanas.

A maioria do nosso povo sente, mas nada podemos fazer e vocês, coitados, ainda acham que podemos tudo. Não podemos, ou melhor, podemos o mesmo que vocês podem, e como nós, não há como se mudar o rumo dos astros.
Os que dizem que podemos tudo são os mentirosos de todo o sempre e até digo mais: não há nenhum juízo punitivo. Isso foi inventado pelos que entre vocês querem o poder sobre tudo para manter o domínio sobre todos. Eu lamento isso. Lamento profundamente e mesmo que pareça reflexão filosófica, não posso me locupletar na mentira. Isso é herança nossa!

-Naqueles dias (em que Enlil andava as turras com vocês, e comigo, por defendê-los) o período orbital da Terra coincidia com o periélio do nosso planeta. Oooops! Periélio? Tá bem!
-Sei que muito de vocês estão ficando espertos, mas um bando de gente nem sabe o que é essa p…. de Periélio. Tem problema não, eu explico numa boa porque também me saio bem (o termo aí é Doutor!)em Ciências Espaciais:
A palavra tem sua origem atual no latim vem de peri (à volta, perto) e hélio (Sol), é o ponto da órbita de um corpo, seja ele planeta, planetóide, asteróide ou cometa, que está mais próximo do Sol. Quando um corpo se encontra no periélio, ele tem a maior velocidade de translação de todo o seu período orbital. Quando o corpo em questão estiver orbitando qualquer outra estrela que não o Sol, utiliza-se o nome genérico periastro para identificar esse ponto. A distância entre a Terra e o Sol no periélio é de aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros. Isto ocorre uma vez por ano, próximo do dia 4 de janeiro e já que estou por aqui, vou aproveitar para falar da situação em contrário…
– O ponto da órbita em que o planeta, ou planetóide está mais afastado do Sol é chamado afélio. A palavra também vem do latim “apos” que, significa longínquo.
A distância entre a Terra e o Sol no afélio é de aproximadamente 152,1 milhões de quilômetros. Quando um astro se encontra no afélio, ele tem a menor velocidade de translação de toda a sua órbita. O planeta Terra passa no afélio no dia 4 de Julho de cada ano. Se ficou entendido (e isso nem é tão dificil de entender), o “verão” de vocês dura mesmo 365 dias e o nosso inverno “quase” 2000 anos dos seus. Explicado? Então…
-Lá no sul (lá, na Antártida) a força gravitacional do nosso planeta agravou a mudança climática e blocos de gelo começaram a se deslocar em direção ao norte do planeta. Derretendo, houve elevação progressiva do nível do mar, o que, obrigava a contínua mudança para locais mais elevados dos continentes, mas isso não foi problema tão grave assim porque o pior mesmo, aconteceu quando um gigantesco bloco começou a se descolar do alto de uma das plataformas de gelo.
Diante de uma situação de extrema gravidade, a informação foi passada na reunião do Conselho dos 7. Procedimentos para abandono do planeta foram determinados e ao mesmo tempo, exigia-se que nada á respeito se dissesse á humanidade.
No Conselho dos 7 que Decidem, vários de nós eram contra, mas perante Enlil, houve a omissão. Eu salvei vocês e dizem que foi o meu irmão. Isso, sinceramente eu digo: É uma tremenda sacanagem. Aquela história em Gen. (VI, VII…) tem que sofrer uma revisão mas, quem se atreve?
– A um dos humanos,
o que eu mais confiava,
o que extremamente sensato era,
um artifício utilizei,
o sagrado juramento,
eu subvertí. Profanei.
eu alertei pela parede junco,
por Atra Hasis chamei,
ao meu Oficial Naval,
á vida de Atra Hasis,
e a dos dele, a Puzu Amurru, confiei,
á eles, por gratidão,
potente nave, ofertei.

…Não foi a chuva, repito: foi um imenso bloco de gelo que se desprendeu do alto da plataforma e se chocou com o mar provocando um mega tsunami, que impiedoso, arrasou tudo o que existia abaixo da Linha do Equador e provocou danos incalculáveis no que estava acima. A humanidade que sobreviveu foi a que ocupava regiões mais elevadas, as divindades que pereceram foram as que ocupavam áreas litorâneas, e tenho que dizer isso porque na plataforma (ainda que imensa!), não havia espaço para todos. Fugimos por Baalbeck, que ainda está lá (no Líbano!) e era nossa principal base de lançamentos ao espaço, era comandada por Shamash. A outra, nas terras de Sin (no Sinai), foi destruída quando Nergal (também conhecido como Erra) juntou-se, aliou-se a Ninurta, a Sin, a Ishtar, a Adad para dar combate a Marduk e Nabu (na Bíblia, Nebo!) pelo domínio total da Terra. Os conhecedores sabem que Nergal, Nabu e Marduk são meus filhos (tenho outros), que Ninurta, Adad e Sin são filhos de Enlil.
Ah, sim, eles somente voltaram quando as águas baixaram e elas, não baixaram totalmente e eu, ainda tenho que aturar a maioria que vive dizendo que eu sou o deus da mentira, enquanto, são vários os restos de cidades submersas, relativamente distantes do litoral.

10- QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?
Ah, de novo, não!
Nunca tracei nenhuma estratégia para destruir nada. A História sabe que eu sou um construtor. Faz vergonha mentir assim.
Isso aí, essa concepção de deus, de céu, de inferno, de juízo punitivo em nada corresponde á realidade. É lamentável, mas a divina verdade que vocês adotam está muito distante do que é realidade e isso me obriga a dizer: foi fundamentalizada na mentira inculcada nas vossas mentes por fundamentalistas gananciosos, pervertidos, mesquinhos e avarentos que a pregam em nome de uma pretensa salvação. Isso nunca beneficiou a humanidade e esse é o grande problema de vocês. Leiam, Estudem e tentem aprender o máximo possível, afinal de contas, essa é a única forma de se vencer a barreira da mediocridade. Até vos digo. Eu venci e só por isso até hoje eu sou penalizado ainda que reconheça que não sou esse “santinho” todo. Ah, eu ia me esquecendo…
Quando as águas baixaram retornamos á Terra. Eu nem conto o que meu irmão quis fazer com vocês, e mais uma vez, adivinhe (dou 12 cervejas se…) quem salvou pele de vocês? Adivinhe com que tipo (dou outras 12 vezes 12 cervejas se…) de argumentação?
-De verdade (ali em Gen. IX) é o fato de ele ter abençoado vocês após muita argumentação sobre tanta destruição. Indubitavelmente, ainda que parcial, essa é uma verdade bíblica não contestável!

11- E SOBRE O FUTURO?
De novo? novamente?! Que futuro?
-Ainda que eu tenha as bolas, devo admitir que em função do tempo elas estão um tanto sem moral. No entanto, asseguro que elas não são de cristal.
Se querem saber o futuro, procurem pela Madame Beatriz. Se querem o passado, estudem a história doa povos e suas civilizações. Estudem com atenção, aprendam com o tempo, porque é ele quem nos ensina. Estudando talvez vocês descubram o óbvio: A história dos antigos não pode ser ocultada, não pode ser deturpada para depois ser imposta como mérito de uma cultura dominante. Essa forma equivocada de pensar e agir, jamais colaborou para a evolução espiritual de nenhuma espécie. O meu irmão sabe disso. Você pode falar com ele.

POSSO…
Não vejo porque não!
…PUBLICAR ESSA ENTREVISTA?
Espero que possa. Muito obrigado pela oportunidade.
OK. EU É QUE AGRADEÇO!

 

 

 

0 Solicitações Mensagens

 

 

25 Notific

Parte superior do formulário

 

 

Parte inferior do formulário

 

 

 

1- QUEM O CRIOU?
Para começo de conversa, meu nome não é Lúcifer e muito menos Diabo. Tais nomes foram inventados para implementar uma política dualista na religião. Se você quer continuar me avacalhando, tudo bem. Pode continuar me chamando de Satã, mas, por favor, veja a origem desse nome e mais, por gentileza, traduza-no e, aproveite para saber de onde vem a palavra Deus, e o que significa…
-Quanto a quem me criou, trata-se de uma pergunta para retardados mentais. Na verdade ninguém me criou p…. nenhuma. Sou que nem qualquer coisa viva. Sou meramente um produto da evolução, fui feito e parido que nem qualquer ser humano, ainda que, numa época muitíssimo anterior á de vocês.

 

2- COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?
Não é P. nenhuma que falaram aí! Que saco! É culhudaria, gente. Culhuda braba! Na verdade, eu tive infância, tive pai, e mãe. Nunca fui símbolo de perfeição nenhuma. Admito até a sapiência, mas formosura. Qual é de mesmo? Tá querendo tirar é?
-Essa pergunta idiota já foi respondida, é praticamente a anterior. Por resposta errada, tenho que dizer…
-Minhas roupas feitas de pedras preciosas… Eu não agüento. Eu uso o que vocês usam nos seus afazeres. Esse negócio de roupa cheia de pedraria não é comigo não. Por acaso vocês já me viram em algum baile á fantasia, desses de segunda feira de carnaval? Qual é?

3- ONDE VOCÊ MORAVA?
Onde eu morava? Que p…. de onde eu morava é essa? Não estou morto não! Estou na minha casa aqui no meu planeta. Aí na Terra, eu morei em vários lugares e gostava de Eridu (foi eu quem fundou essa cidade, nosso primeiro posto avançado aí, há mais de 436 mil anos atrás) e de Tatenen (que bem depois, e ainda respeitando o meu nome, passaram a chamar de Egito sem nunca dizer que o nome significa O Tempo do Espírito de Ptah), e mais, nunca caminhei em nenhum brilho. Essa p…. de brilho, foi inventado por vocês, e isto, porque nunca se conformam com pouco barato. Tenho que falar?
-Nosso pessoal aqui também gosta de se drogar legal, porém, é com álcool. Aliás, com a cerveja, que eu leguei para vocês (como se bem pode ver no Egito Antigo) e com vinho, que aliás, eu não “administro” bem, ainda que tenha que dizer que essa bebida é legado do meu irmão. É só ler a Bíblia lá em Gen. IX. Ler e entender. Aliás, Se lessem eu não estava aqui perdendo tempo…

4- QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?
Mais conversa mole! Mais pergunta besta!
-Na verdade não é nada disso. Eu nunca fui Querubin (é mais uma confusão!) de guarda nenhuma, nunca guardei nenhuma Glória nem conduzi louvor de “anjo” algum. E, (toda vez é isso, a mesma ladainha!) com relação a esse nome alternativo aí, Lúcifer: eu nunca carreguei nem portei p…. de luz nenhuma porque sempre tive gente qualificada para isso (carregar coisas). A propósito, você tem algum crachá meu, me identificando como funcionário de alguma Concessionária de Energia Elétrica? Nunca param de me desqualificar, de encher o meu saco com besteira…
-Toda vez é isso. Uma manada que se alimenta de alfafa por não saber escolher o que come e eu tendo que dar remédio prá dor de barriga. Vamos esclarecer esse negócio de uma vez…
-Meu nome é Enki, ainda que me chamem por outros nomes como Ea, Enki, Ptah, Olekum, Poseidon, Netuno…
-Eu era chefe da galera toda, mais aí, puxaram meu tapete e, de sacanagem nunca deixam que vocês leiam essa parte da História, e pior: não permitem entendimento aos que leram. Há muito a ser esclarecido e eu nada posso fazer senão tentar…
-Eu era o responsável direto por um vasto empreendimento aí na Terra. O tal, o dito cujo, era relacionado com mineração de ouro. Esse ouro era purificado e depois reduzido ao máximo, digo refinado ao máximo, á estrutura molecular. Sei até que vocês não entendem isso, é alta tecnologia que não vem ao caso explicar aqui. No entanto, posso dizer o porquê do ouro…
-Era para resolver um problema de extrema gravidade: o nosso planeta estava progressivamente perdendo a atmosfera e o ouro era para ser espalhado na mesma. Não gosto de botar medo em vocês, porém, tenho que dizer que isso foi devido a nossa excessiva atividade industrial. Vocês estão com problema parecido e poucos realmente estão se importando. Tenho que dizer uma coisa  certa: o descaso ambiental vai ferrar o seu planeta, ou melhor, já está ferrando e poucos estão sabendo!

5- ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?
O que, rapaz ? Naqueles tempos? Você não sabe de nada!
-Faltava sim, e como. Para começar, era um trabalho exaustivo, de longa jornada e num lugar estranho a nós. A atividade era o que vocês qualificam como trabalho escravo e o local (de trabalho), dada as condições, era o que aí (por “engano” deliberado) você qualifica como o inferno. Está ruim não é? Também, faltavam mulheres e isso, era um problema grave. Não somos assexuados, nem andamos batendo asinhas por aí. Se é que você está entendendo o que estou a dizer. Só aí, dá pelo para ver o “diabo” do problema que eu tinha que enfrentar em cada temporada, que aí na Terra, demorava 3600 anos. Pense aí, 3600 anos!

6- O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?
Não foi assim. Não é nada disso e ainda dizem que eu sou o pai da mentira!
-Nunca sobrepujei ninguém, não preciso, não é o meu perfil e você nem entende. Gabriel e Miguel são gente boa, nunca tive atrito com eles, o problema era com o meu irmão e, tenho que esclarecer as coisas ainda que pelos erros gramaticais (os meus, eu assumo!) tenha que dizer que não sou o responsável por isso aí em cima. Para responder isso, essa pergunta, eu tenho que ir “falando” o que de fato aconteceu…
-A produção de ouro (que inicialmente era extraído das águas do Golfo Pérsico) não apresentava os resultados esperados, daí, fizemos prospecção no solo de vários continentes e o lugar mais promissor era o sul do continente africano.
È meu amigo, lá mesmo, na terra do ouro (no Abzu). Lá, as condições de trabalho pioraram sensivelmente. Tranquilamente, posso dizer o que se sucedeu…
-As condições eram a que vocês chamam de trabalho precarizado e para complicar, a produção nunca era o suficiente. Por esse motivo, e só por esse motivo, é que o meu irmão resolveu visitar a Terra do Ouro. Ele queria ver o que de factualmente ocorria. A presença dele acirrou ânimos, houve uma greve e ele queria punir de forma radical o pessoal envolvido e só não o fez porque o meu pai, An (também conhecido como Anu, Urano e de forma ignorante, Céu…), principal líder do meu planeta natal, informado sobre as condições do nosso trabalho, atendeu o que se pedia (que basicamente se reportava a mais turmas de operação com revezamento e um lugar para descanso) e não permitiu punições. A humanidade podia saber disso se lesse. Esse é o problema…
Eu não sou afeito á críticas, porém, não posso me furtar á verdade: a maioria de vocês não gostam de ler, preferem “packs” e mesmo (na maioria das vezes!) quando se aventuram, não se aprofundam no assunto. Ainda assim, de qualquer forma que se leia, isso está inserido na no contexto “mitológico” dos antigos povos das terras entre os dois rios (Senaar na Bíblia, em Gen II, por ex.).
-Ah, sim. Meu irmão Enlil… Ele é um Administrador extremamente competente, mas não um Técnico. Ele não podia entender de trabalho, digo das especificidades técnicas de um trabalho em condições de extrema anormalidade. Não podia mesmo. Para ele o que importava era o resultado, o ouro. O ouro que salvaria o nosso planeta!
De qualquer forma, para descontrair, eu gosto de dizer que o meu retrato deveria estar no Hall de todos os sindicatos (de trabalhadores deste seu planeta, claro!) porém não é bem isso o que acontece. Daquí, eu via você se ferrando quando tentava falar neste assunto.

7- O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?
Quáquá,rá,quáquá. “Eita” mentirazinha safada da gota serena e ainda, com a mesma pergunta xexelenta…
-Seo moço, fico até envergonhado. Já expliquei aí em cima e tenho que explicar de novo. Mais…
-Sobre o que “detonou a rebelião” foi o que já citei para uma mesma pergunta: precarização do trabalho, trabalho precarizado. Quanto á “minha criação”, tenho que repetir: ele não me criou não seo moço. Ele não pode fazer isso. Ele é meu irmão e eu sou mais velho que ele muito embora ele seja o CGPT por questão relacionada á sucessão do meu pai. Essa coisa é meio complicada para explicar. Se der, eu falo mais tarde sobre…
-Quanto a vocês, humanos, fui eu! Eu e minha irmã, ainda que o termo não seja o adequado. Não os criamos, demos sim, imagem e semelhança a você, que na verdade, são muito parecidos com a nossa gente. Devo até dizer: vestido como vocês, qualquer um de nós passa despercebido, se bem que, talvez, alguém estranhasse a nossa pele estranhamente branca, digo, pálida (nosso mundo é extremamente frio por causa da enorme distância que estamos do Sol e vocês ficam aí chiando á toa quando faz um solzinho!) e cabelos compridos da cor de prata. Talvez até reparassem pela nossa estatura um pouco anormal já que gente de 2.0/2,20m de altura não é coisa assim, tão comum no meio de vocês. Vou simplificar a coisa: qualquer elemento grandalhão que não seja vítima de problema na hipófise, que tenha sobrancelhas fechadas, cabelo “prateado” e pele excessivamente “branca” pode ser qualificado como “Elemento Suspeito”, recém chegado. Entendeu? Lamento que isso vá servir de alento para os nazistas de plantão. Eles não “sabem” que quem determina o homem é o meio no qual ele vive. Nós como qualquer organismo vivo nos adaptamos ao meio em que vivemos. Acredite. Aí nossos genes ordenam produção de melanina, mas sempre tomamos medicamentos para nos proteger da radiação solar que provoca câncer de pele tanto em nós como em vocês. É isso, biologia básica e vocês cultuando idéia de raça…
-Com nossas roupas cerimoniais, o nosso pessoal infligia medo e pavor a alguns de vocês. Por ex, o meu sobrinho, Shamash, gostava de se vestir de “Águia” (isso porque ele sempre estava envolvido com Atividades Espaciais), Ishtar, (também conhecida como Inanna, Astarte, Vênus, Afrodite…), “problemática” como sempre, gostava de militarismo e aí, desfilava um look de guerreira armada até os dentes, quando não, de Aeronauta ainda que também adorasse andar em pêlo.
Marduk (conhecido também como Rá e Merodach) e alguns outros do primeiro escalão possuíam aeronaves particulares. Eu, porque sempre desenvolvia atividade relacionada com o mar, utilizava “roupa” de mergulhador tanto que no Golfo Pérsico, me retrataram como um homem-peixe. Homem-peixe é demais. Dá para imaginar um cara andando por aí sacudindo as barbatanas. Mentaliza, cara!
-Sacudindo as barbatanas e ainda balançando o rabinho! Aí, já é demais, e tudo devido ao desconhecimento á respeito de certas informações. No caso, eu nem culpo Berose. Ele era um sacerdote babilônico tardio que escreveu uma História Antiga (cujos fragmentos chegaram a vocês através dos gregos) contendo vários equívocos somente desmentidos quando os “originais” foram traduzidos. Ironia do destino: foi estudando cultura grega que muita gente chegou a Berose e entendeu (por associação de idéias) que os homens peixes da “antiga” terra entre os rios somente poderiam ser mergulhadores. Impressionante ou irônico: eu e mais seis iguais a mim entrando a noite no mar e saindo pela manhã, lá no Golfo Pérsico, para ensinar a plantar, a criar gado, a tratar metais e vocês…
-Me chamando de divindade anfíbia por desconhecerem um banal submarino. Berose. Tudo bem, mas você… Precisa estudar tecnologia e mais, aprender a associar idéias…

8- O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?
Bem, primeiro é que nem foi bem assim: ninguém foi expulso de lugar nenhum. Ninguém fundou império algum. Segundo: esse negócio de anjo sempre foi voz discordante. Ninguém aqui anda batendo asinha prá lá e pra cá. Podemos voar (já falei!), porém, mediante meios mecânicos.
Desprolixando…
-Os ânimos estavam mesmo exaltados e o meu pessoal queria mesmo pegar meu irmão. Greve é greve e eu era peça importante naquele movimento paredista e mesmo assim, não podia admitir aquela situação que me obriga a perguntar: deveria ser eu (ou não?) o patrono dos Sindicatos Operantes do Planeta Terra? Pois é…
-Ainda que eu seja na maioria das vezes visto e (eu tenho minhas razões!) entendido como um opositor á Enlil, eu nunca vou negar que ele é meu irmão, e (não por algum poder especial) um importante liderança interplanetária. Dá para ver então? Dá para ver para quem sobrar? Em definitivo, dá para ver quem tinha que encontrar solução para o problema?
-Eu sei que vocês, grandes especialistas em História vão se retar com a minha cara sem que eu possa fazer nada e ainda assim, eu tenho que falar porque o meu lema é Tudo em Nome da Verdade. Aliás, não são vocês que vivendo a negar passam a vida dizendo que tudo tem que ser dito e bendito?
O que dizer se por mentira, vocês não passam de mero retrato da verdade?
-Não sabem o que faz e eu ainda desculpo por algo bem simples: sempre espero que tudo fique bem…
-Naqueles dias pelos nossos acampamentos passeavam umas criaturas curiosas, arredias, um tanto parecidas conosco. Um tanto parecidas, mas nem tanto, entende? Para que mentir, se algumas delas a gente até adotava como mascote?
– Elas estavam em processo evolutivo pelo qual havíamos passado antes (muitíssimo antes), no nosso planeta, e aí, eu tive a idéia…
Eu tive e propus a idéia a minha irmã: vamos “evoluir”, apressar a evolução dessas criaturas?
-Conhecedora extrema dos mecanismos da Genética, assim como eu, ela topou na hora sabendo que era um desafio á altura do nosso conhecimento científico. Para que mentir? Para que ocultar os fatos? Porque não á verdade?
– O meu irmão não entende nada de bio-tecnologia. Sem ser gabão, tranqüilamente digo que nesse campo Enlil nem é Mané, é Otacílio!
-Antes mesmo de comunicar oficialmente tal idéia ao Conselho dos Sete que Julgam e Decidem, a gente já vinha fundindo espécies diferentes para ver o que acontecia. Se vocês acham isso antiético, tudo bem (seus cientistas vão fazer a mesma coisa, se é que nas entocas já não o fazem!) era uma forma de matar o tempo que, eu também matava pescando, bebendo cerveja e… vocês nem sabem: todo mundo que estuda, que se dá á pesquisa, que tem paixão pelas águas e meio ambiente, que são doentes por cerveja, que são furunfadores incondicionais, que odeiam injustiça, que são honestos acima de tudo, estão associados a mim e a frente, vocês saberão o por que desse porquê.
De erro meu, admito relacionamento sexual com a minha meia irmã, coisa que me irmão também fazia, mas disso, para não estropiar o raciocínio, vou deixar para falar adiante, se ele não quiser…
-Vocês não sabem o que é criar vida, a maioria de vocês nem sabem o que é tirar onda de “deus”…
-É o maior barato fundir células reprodutoras de espécies diferentes. Matéria prima (me desculpem o termo) era o que não faltava, criávamos verdadeiros monstros. Era o maior barato, pura diversão para nós. Diversão e experiência, claro!
Depois de testarmos as possibilidades, e foram várias, vimos que a mais promissora daquelas espécies era aquela que o pessoal (não os burros de plantão) da Antropologia Física chama de Homo habilis. Isso até que eu gosto de dizer: dentro da escala evolutiva, ela estava muito acima do que vocês aí chamam de “habilis” e mais, existiam várias espécies, o que, consequentemente, dariam origem a várias espécies de homem. Dá para você imaginar o problema social decorrente da situação?
Pois…
-Misturar células reprodutoras de espécies diferentes para ver o que dá é a maior moleza, forjar uma nova espécie, com a nossa essência, aí é rabo, bronca. É a maior merda!
-Pois é: capturamos uma fêmea de “habilis” e a mantivemos como se fosse a nós mesmos. Como se fosse uma fêmea da nossa espécie. Alimentação nossa, procedimentos médicos nossos, medicamentos nossos, entenderam?
-Ao mesmo tempo purificamos a essência de um dos nossos rapazes. Aí, quando a “habilis” estava pronta, ovulando, entende?
-Retiramos o óvulo e, o fundimos ao espermatozóide (dizem que foi o meu, e eu, nem tô aí! Não foi!) e, bingo. Clonamos o óvulo e o implantamos nas nossas fêmeas…
-Por vezes, eram 14 por vez, sete partejando machos, sete partejando fêmeas, e isso, por longos anos (se vocês tivessem lido, eu não estava aqui, explicando). Sabem? Fertilização in Vitro, entende?
-Meio a contragosto, Enlil viu que todo o nosso trabalho progressivamente passou a ser executado pelo ser humano. Uma beleza! Ah, você não acreditam mesmo e não pode acreditar…
-Quanto mais a gente produzia e refinava ouro para ser aplicado na atmosfera do nosso planeta natal, mas a gente precisava de mão de obra, aí,
ato contínuo, repetíamos o processo.
Como fazer acreditar que os primeiros vocês eram híbridos? Como fazer acreditar que híbridos (“burros” e mulas em geral sabem muito bem disso) não se reproduzem? Tenho que dizer isso, que qualquer analfabeto em biologia tá de saco cheio de saber? Pois é!

ESSA RESPOSTA ESTÀ FICANDO MUITO GRANDE…

Pois é! Estou resumindo á opera e você com sua mania de resposta fácil já está reclamando…
-Graças aos primeiros vocês, produção de ouro ia de vento em popa lá na África do Sul (rapaz, me dizem que até hoje vai!) e ao mesmo tempo na terra entre os rios (em Bad Tibira), sobrava ouro para ser beneficiado, o que, provocava atraso de envio das remessas deste metal estratégico ao nosso planeta. E isso nem é nada. Lá, o pessoal ainda tinha que executar “n” tarefas outras como regular o curso do Tigre e do Eufrates e isso, gerava insatisfações incríveis!
-Meu irmão Enlil, o Senhor do Comando, o CGPT (como vocês gostam de qualificar quando estão a fim de sacanear um chefe) foi ver o que acontecia, chefes são assim mesmo, somente se importam com os resultados. Por milênios, eu canto á insensatez dos deuses…
-Na verdade, ele queria levar os meus trabalhadores para Senaar…
-Ele queria e eu não queria que fossem levados. Por isto…

-Eu tranquei minhas criaturas na mina,
com as minhas criaturas, eu me tranquei,
na mina, eu, meus amigos, meus lulu amelu.
E Enlil, Enlil! Enlil, trouxe Alani,
a força suprema de Alani…

-Suprema, a força de Alani,
Um rasgo no seio da mina, fez.
E Enlil viu minhas criaturas,
e Enlil chorou quando viu minhas criaturas,
e Enlil profanou nosso sangue,
e, foi por querer minhas criaturas,
e Enlil levou muitas minhas criaturas.
Para as terras entre os dois rios, ele as levou…
-E eu, não odeio Alani…
-E eu, não odeio Enlil…

-E a Bíblia (Gen. II), ainda diz que o “Senhor” tomou o homem e o colocou no Ed-in para que zelasse e guardasse” sem dizer onde o homem estava, sem dizer de quem tomou, sem dizer que tomou de mim…
-E eu, não odeio a Bíblia…
-Ele, Enlil, nem via: as meninas já tinham começado a se retar com esse papo de “Deusas do Nascimento” e aí, sobrou para mim e para a minha irmã, Ninhursag, também conhecida como Ninti ((Ela que dá a Vida, Senhora da Vida) entre outros tantos epítetos), que sendo uma das tais “Deusas” já não agüentava mais a situação…
-Lá na terra entre os rios, Ele nem “via” os primeiros vocês, não via que eles aprendiam facilmente tudo o que o que a gente ensinava, e mais, ele nem via que em alguns casos, alguns dos primeiros vocês se relacionavam sexualmente com o nosso pessoal.

Eu não posso mentir. Quem gosta de mim não mente, a menos, que desconheça a História ou que dela não queira saber…
-Sem que ele soubesse (e vocês já devem ter percebido que não temos poder de saber o que um outro anda fazendo!), decidimos fazê-lo, decidimos dotá-los de capacidade reprodutiva, torná-los factualmente como nós mesmos, entende?
Vocês sabem. Adamah e Chava (Adão e Eva). Sabem? Pesquisas com células-tronco. Sabe? Eu sinto muito!
Tão iguais a nós, se reproduzindo, sabe?
Compatíveis sexualmente conosco, sem hibridização, sabe?
Deu um trabalho danado, mas fizemos. Fizemos em Eridú porque lá o meu laboratório de biotecnologia era bem melhor equipado, “N” vezes acima da tecnologia que vocês, começando agora, ficam chamando de Tecnologia de Ponta…
-Ele, Enlil, se retou! Mandou me encarcerar, queria me ferrar no Conselho dos 7 que Julgam e Decidem. Irado, esqueceu que eu sou um dos 12 (doze horas para o dia, 12 outras para a noite, 12 meses do ano, 12 Apóstolos de Cristo, 12 Tribos de Israel, 12 corpos celestes principais no nosso sistema solar, 12 Deuses Principais)… Sabe?
-Eu acho que a raiva dele foi o fato de eu ter utilizado a minha própria essência no processo. Eu acho, não! Não tenho certeza. Marcadores genéticos influenciam por “N” anos e vocês ainda discriminam albinos dizendo que eles o são por possuir genes recessivos. Ah, sim!

-Eu fui absolvido explicando que não era justo as mulheres se submeterem ao contínuo desgaste do partejar e que era um contra-senso deixar que astronautas e técnicos se desqualificassem num trabalho não compatível com a formação que tinham. E ainda me escroteiam, é preciso esclarecer mais!
No passado existiam várias espécies de Australopitecus e uma delas (o africanus) originou o “habilis” e outras variantes Homo seqüenciando a evolução das espécies humanas. É incrível ver como essa engrenagem funciona: os que mais se adaptam ao meio sobrevivem, os que não se adaptam simplesmente desaparecem, ainda bem!
Já pensou?
-Se hoje houvesse várias espécies de humano? Já pensou na nossa mãozinha? Já pensou?
…Vocês e uns Neanderthais “primitivos” em Broken Hills (Zâmbia), No Monte Carmelo e Kafzeh (Israel), no Vale de Neander (Alemanha) em Gibraltar, em Val Camonica( Itália), Lapedo (na velha Ibéria) em Shanidar (Iraque), em La Chapelle-aux-Saints (França) Mais…
-Você e uns “Erectus” na Ásia, Nasoropa, sem querer admitir que os mais antigos genes humanos são “made in Africa”?
Ora, Senhor! Darwin estava quase 100% certíssimo quanto a Origem das Espécies, quase 100% há que se admitir que é um bom alento para as pretensões da humanidade…

9- COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?
Mais mentira camarada? E eu tenho que encarar numa boa? Vocês humanos são como qualquer um de nós e ainda assim eu não consigo acabar com essa palhaçada…
-Porque carga d’água vou invejá-los, ou odiá-los se basicamente, vocês são nós, da mesma forma que somos vocês. Vou insistir. O problema é que inventam um monte de dança e vocês nem se dão ao luxo de olhar a música que tocam…
Isso já devia estar entendido. Eu em tudo sou semelhante ao meu irmão, a vocês e aí, tenho que esclarecer…
Esse papo de semelhança não é verdade. Essa estória de atravessar parede, estar em dois lugares ao mesmo tempo, de não comer (no bom e no mau sentido!), de não beber, não passa de trolóló. Ademais, não andamos á velocidade da luz (Einstein até já disse, e com toda certeza, que matéria acelerada a velocidade da luz se converte em energia). E mais…
Não somos imortais e, ainda que em relação a vocês tais situações sejam tidas como verdadeiras, sinto-me na obrigação de dizer que as Leis da Física e da Biologia são universais, portanto, as mesmas para entes físicos (se quiserem o termo Entidades Biológicas Extraterrestres, tudo bem!) como nós e vocês. Leiam o Gênesis, o Êxodo, e o livro de Josué. Entre outros livros da Bíblia, esses livros pormenorizam o que estou dizendo. E mais, mais uma vez…
-Da minha essência eu criei vocês e, portanto, não posso odiá-los. Eu nunca quis destruir ninguém e não existe nenhum motivo para eu invejá-los. Se fosse para fazer queimação, eu até diria que isso sempre foi vontade do meu irmão, Contudo, mas, todavia, porém…
-Como vocês foram feitos “a nossa imagem e semelhança” vocês são compatíveis sexualmente conosco, e isso (desculpem-me a chuleza do termo, mas esse é o mais apropriado), deu numa tremenda putaria.
A Bíblia até cita: vendo que as Filhas do Homem eram muito belas e formosas os Filhos de Deus as tomaram como mulheres (Gen. VI.). Está ai uma verdade verdadeira que precisa de um complemento: havia também filhas de “Deus” e elas, tomavam homens e partejavam filhos e estes, assim como os outros eram normais como qualquer criança. A diferenciação, somente dependia da proximidade que ela tinha do nosso povo e eu até digo como isso era feito. Alimentação adequada, medicina avançada, terapia genética com acompanhamento constante (isso já me disseram que vocês já estão fazendo aí), conhecimento técnico/científico e nada mais.
Tenho que insistir: negaram a história e ainda escreveram errado para dar baratino, para manipular, para escravizar mentes vazias, mas deixe eu prosseguir para mais uma vez poder ajudar…
– Há uns 12 mil anos de vocês, a terra passava por mudanças climáticas, igualzinho a essa que está ocorrendo agora. Tenho mesmo que dizer: a maioria de vocês nem sabe más já me disseram que entre vocês já tem gente se preparando para o pior. Pois é…
-Naqueles dias o clima se tornou seco, a aridez tomou as terras fazendo com que a agricultura se tornasse impraticável. Agricultura e a pecuária, devo dizer. A água, tinha se tornado escassa e a fome, imperava a tal ponto que casos e mais casos de canibalismo se disseminava entre os humanos. Ninguém fala a voz do meu irmão: “Que pereçam pela fome!”
-Enlil, nada fazia para por um fim naquele tormento, ele apostava no fim da humanidade e via na mudança climática uma forma limpa de conseguir seu intento e os motivos, são os mesmos citados e já recitados: união sexual entre humanos e “deuses” e a defesa da proposta do planeta Terra se tornar o nosso definitivo lar, coisa que sempre fui contra ainda que tal proposta, reacionária, faça sentido, o que, me obriga a uma explicação por em detalhes pormenores, o que momentaneamente, vai alterar o rumo dessa prosa e o pior, vai exigir umas respostas relativamente complicadas por simples, digamos assim, conhecimento científico de quem ler essa entrevista. Eu posso subverter?
CLARO, QUEM SOU EU PARA DIZER NÃO?
-Se eu perguntasse o que é uma estrela, quem iria dizer que estrela é um reator nuclear que converte Hidrogênio em outros elementos químicos mais pesados que ele?
-Se eu perguntasse o que acontece quando uma estrela queima todo o seu Hidrogênio, quem iria dizer que não é bem assim, que depende do padrão da estrela, quem iria dizer que mesmo no fim da sua Sequência Principal uma estrela como o Sol pode possuir uma considerável disponibilidade de Hidrogênio nas suas camadas mais externas?
Vê? As coisas não são fáceis de entender e olhe que existem estrelas com massa muitas vezes maior que a do Sol (Sol=1m). Essas queimam tanto Hidrogênio que acabam “explodindo” antes da hora em função do imenso valor de temperatura de Núcleo. Pode parecer irônico dizer que essa é a nossa sorte: essas estrelonas de vida curta (1~5 M.A.) normalmente são as mães daquelas que “vivem” 10B.A. como o nosso Sol. É, por hora, é isso que precisa ficar entendido?
-ACREDITO QUE SIM…
Pois é, pode acreditar que não!
-As imensas ondas de energia liberadas na explosão desse tipo de estrela, que particularmente eu gosto de chamar de superhipergigante (há poucos dias vo-
cês registraram uma com 250MS), pode, pela proximidade relativa, desestabilizar estrelas menores e seus sistemas planetários. Isso pode ter sido o que aconteceu com o nosso Sistema Solar ainda que eu não possa descartar a hipótese de um planeta se formar á revelia (isto é…), sem estar atrelado a uma estrela.
Complicado? Ficou entendido? Conjecture á vontade, porém, sabendo de antemão, que quanto á interação entre o meu planeta e o seu, eu posso falar a vontade. Isto, se você permitir!
-CLARO, QUEM SOU EU PARA DIZER NÃO?
-Independentemente de conjectura, o fato é que por milhões e milhões e milhões de anos o nosso planeta vagou pelo vazio interestelar até que um dia foi atraído pela força gravitacional de um outro, orbitalmente submetido ao Sol.
Esse planeta, que chamamos de Nudimud (um dos meus epítetos), e vocês, atuais, de Netuno, atraiu gravitacionalmente o nosso quando há muito o Sol já tinha definido o seu sistema planetário que na época possuía uma configuração bastante diferente da atual, alterada que foi, graças, digamos assim á nossa “intromissão”. Essa parte da história, que deixamos como nosso legado á humanidade é de conhecimento da maioria de vocês, ainda que indiretamente, através da Bíblia. Ah sim, antes de subverter, eu, estava falando do que mesmo?

‎-DO FIM DA HUMANIDADE…
-Ah, tá!…E ainda dizem que existe um criador e que eu sou o poderoso Filho do Criador…
-Ah, sim!
Diante da calamidade eu sempre dava um jeito de conseguir alguns suprimentos para os meus seguidores e isto somente porque não havia nenhuma condição de alimentar a todos. Isso era fonte de vários atritos entre eu e o meu irmão e disso quase ninguém fala…
-Ninguém fala que ele planejou exterminar um certo número de varões e esterelizar mulheres. Ninguém fala que o principal motivo da raiva dele era o fato de nosso povo se relacionar sexualmente com os antigos vocês. Ninguém fala, só por isso eu repito…

-Por causa da mudança climática havia risco das geleiras do Pólo Sul (da Antártida, entendem?) se desestabilizarem (como está acontecendo agora, entendem?).
Era o meu pessoal quem respondia pela monitoração do clima. Trabalho facinho, facinho quando se está orbitando a Terra numa gigantesca estação espacial prá lá de super equipada com o melhor da nossa tecnologia. Devo até dizer que essa plataforma era a ponte entre o nosso planeta e a Terra, que nossas naves maiores vinham do nosso planeta e acoplava na plataforma e que as menores faziam o transporte regular. Rapaz eu tenho um orgulho danado de vocês: colocaram uma em órbita (é pequena, tudo bem, mas adequada as suas necessidades) habitada e com revezamento de pessoal…
-Bem, o pessoal que cuidava da plataforma eram eles, os Igigi (traduzido ao pé da letra, os que vêem e observam, astronautas, não é mesmo?), eles eram os responsáveis pelo envio do ouro para o meu planeta. Eram eles que me respondiam as perguntas. Eu somente dizia quando ia chover ou “fazer sol”. Era o maior barato essa onda de “Senhor do Tempo” tanto, que até entre nós havia quem acreditasse, simplesmente por desinformação. Incrível, inacreditável, não é?
-Fiés a mim, somente a mim, os Igigi me informaram, eu dei o alarme, eu alertei sobre o que estava para ocorrer. É mais uma parte da História que a maioria de vocês nem acreditam. Não podem, porque não deixam…
-Eu falei aí em cima que o período orbital do meu planeta é de 3600 anos e, não falei que ele, na complementação da órbita ocasionalmente pode se aproximar da Terra (isso, claro, a depender do momento orbital de vosso planeta). Não falei que quando isso acontece, a influência gravitacional desestabiliza a Terra, e aí, acontecem pavorosas catástrofes que simplesmente ceifam vidas humanas.

A maioria do nosso povo sente, mas nada podemos fazer e vocês, coitados, ainda acham que podemos tudo. Não podemos, ou melhor, podemos o mesmo que vocês podem, e como nós, não há como se mudar o rumo dos astros.
Os que dizem que podemos tudo são os mentirosos de todo o sempre e até digo mais: não há nenhum juízo punitivo. Isso foi inventado pelos que entre vocês querem o poder sobre tudo para manter o domínio sobre todos. Eu lamento isso. Lamento profundamente e mesmo que pareça reflexão filosófica, não posso me locupletar na mentira. Isso é herança nossa!

-Naqueles dias (em que Enlil andava as turras com vocês, e comigo, por defendê-los) o período orbital da Terra coincidia com o periélio do nosso planeta. Oooops! Periélio? Tá bem!
-Sei que muito de vocês estão ficando espertos, mas um bando de gente nem sabe o que é essa p…. de Periélio. Tem problema não, eu explico numa boa porque também me saio bem (o termo aí é Doutor!)em Ciências Espaciais:
A palavra tem sua origem atual no latim vem de peri (à volta, perto) e hélio (Sol), é o ponto da órbita de um corpo, seja ele planeta, planetóide, asteróide ou cometa, que está mais próximo do Sol. Quando um corpo se encontra no periélio, ele tem a maior velocidade de translação de todo o seu período orbital. Quando o corpo em questão estiver orbitando qualquer outra estrela que não o Sol, utiliza-se o nome genérico periastro para identificar esse ponto. A distância entre a Terra e o Sol no periélio é de aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros. Isto ocorre uma vez por ano, próximo do dia 4 de janeiro e já que estou por aqui, vou aproveitar para falar da situação em contrário…
– O ponto da órbita em que o planeta, ou planetóide está mais afastado do Sol é chamado afélio. A palavra também vem do latim “apos” que, significa longínquo.
A distância entre a Terra e o Sol no afélio é de aproximadamente 152,1 milhões de quilômetros. Quando um astro se encontra no afélio, ele tem a menor velocidade de translação de toda a sua órbita. O planeta Terra passa no afélio no dia 4 de Julho de cada ano. Se ficou entendido (e isso nem é tão dificil de entender), o “verão” de vocês dura mesmo 365 dias e o nosso inverno “quase” 2000 anos dos seus. Explicado? Então…
-Lá no sul (lá, na Antártida) a força gravitacional do nosso planeta agravou a mudança climática e blocos de gelo começaram a se deslocar em direção ao norte do planeta. Derretendo, houve elevação progressiva do nível do mar, o que, obrigava a contínua mudança para locais mais elevados dos continentes, mas isso não foi problema tão grave assim porque o pior mesmo, aconteceu quando um gigantesco bloco começou a se descolar do alto de uma das plataformas de gelo.
Diante de uma situação de extrema gravidade, a informação foi passada na reunião do Conselho dos 7. Procedimentos para abandono do planeta foram determinados e ao mesmo tempo, exigia-se que nada á respeito se dissesse á humanidade.
No Conselho dos 7 que Decidem, vários de nós eram contra, mas perante Enlil, houve a omissão. Eu salvei vocês e dizem que foi o meu irmão. Isso, sinceramente eu digo: É uma tremenda sacanagem. Aquela história em Gen. (VI, VII…) tem que sofrer uma revisão mas, quem se atreve?
– A um dos humanos,
o que eu mais confiava,
o que extremamente sensato era,
um artifício utilizei,
o sagrado juramento,
eu subvertí. Profanei.
eu alertei pela parede junco,
por Atra Hasis chamei,
ao meu Oficial Naval,
á vida de Atra Hasis,
e a dos dele, a Puzu Amurru, confiei,
á eles, por gratidão,
potente nave, ofertei.

…Não foi a chuva, repito: foi um imenso bloco de gelo que se desprendeu do alto da plataforma e se chocou com o mar provocando um mega tsunami, que impiedoso, arrasou tudo o que existia abaixo da Linha do Equador e provocou danos incalculáveis no que estava acima. A humanidade que sobreviveu foi a que ocupava regiões mais elevadas, as divindades que pereceram foram as que ocupavam áreas litorâneas, e tenho que dizer isso porque na plataforma (ainda que imensa!), não havia espaço para todos. Fugimos por Baalbeck, que ainda está lá (no Líbano!) e era nossa principal base de lançamentos ao espaço, era comandada por Shamash. A outra, nas terras de Sin (no Sinai), foi destruída quando Nergal (também conhecido como Erra) juntou-se, aliou-se a Ninurta, a Sin, a Ishtar, a Adad para dar combate a Marduk e Nabu (na Bíblia, Nebo!) pelo domínio total da Terra. Os conhecedores sabem que Nergal, Nabu e Marduk são meus filhos (tenho outros), que Ninurta, Adad e Sin são filhos de Enlil.
Ah, sim, eles somente voltaram quando as águas baixaram e elas, não baixaram totalmente e eu, ainda tenho que aturar a maioria que vive dizendo que eu sou o deus da mentira, enquanto, são vários os restos de cidades submersas, relativamente distantes do litoral.

10- QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?
Ah, de novo, não!
Nunca tracei nenhuma estratégia para destruir nada. A História sabe que eu sou um construtor. Faz vergonha mentir assim.
Isso aí, essa concepção de deus, de céu, de inferno, de juízo punitivo em nada corresponde á realidade. É lamentável, mas a divina verdade que vocês adotam está muito distante do que é realidade e isso me obriga a dizer: foi fundamentalizada na mentira inculcada nas vossas mentes por fundamentalistas gananciosos, pervertidos, mesquinhos e avarentos que a pregam em nome de uma pretensa salvação. Isso nunca beneficiou a humanidade e esse é o grande problema de vocês. Leiam, Estudem e tentem aprender o máximo possível, afinal de contas, essa é a única forma de se vencer a barreira da mediocridade. Até vos digo. Eu venci e só por isso até hoje eu sou penalizado ainda que reconheça que não sou esse “santinho” todo. Ah, eu ia me esquecendo…
Quando as águas baixaram retornamos á Terra. Eu nem conto o que meu irmão quis fazer com vocês, e mais uma vez, adivinhe (dou 12 cervejas se…) quem salvou pele de vocês? Adivinhe com que tipo (dou outras 12 vezes 12 cervejas se…) de argumentação?
-De verdade (ali em Gen. IX) é o fato de ele ter abençoado vocês após muita argumentação sobre tanta destruição. Indubitavelmente, ainda que parcial, essa é uma verdade bíblica não contestável!

11- E SOBRE O FUTURO?
De novo? novamente?! Que futuro?
-Ainda que eu tenha as bolas, devo admitir que em função do tempo elas estão um tanto sem moral. No entanto, asseguro que elas não são de cristal.
Se querem saber o futuro, procurem pela Madame Beatriz. Se querem o passado, estudem a história doa povos e suas civilizações. Estudem com atenção, aprendam com o tempo, porque é ele quem nos ensina. Estudando talvez vocês descubram o óbvio: A história dos antigos não pode ser ocultada, não pode ser deturpada para depois ser imposta como mérito de uma cultura dominante. Essa forma equivocada de pensar e agir, jamais colaborou para a evolução espiritual de nenhuma espécie. O meu irmão sabe disso. Você pode falar com ele.

POSSO…
Não vejo porque não!
…PUBLICAR ESSA ENTREVISTA?
Espero que possa. Muito obrigado pela oportunidade.
OK. EU É QUE AGRADEÇO!

 

 

 

0 Solicitações Mensagens

 

 

25 Notific

Parte superior do formulário

 

 

Parte inferior do formulário

 

 

 

 

 

Anúncios
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A Modernização do Sistema de Transporte de Salvador City

Reeditando…
Veja bem meu amigo eu mesmo já tinha percebido (um?!) certo ar de treita quando um abençoado fez a gentileza de enviar para mim uma linda revista sobre a modernização do nosso Sistema de Transporte. Era uma defesa explícita ao BÊRÊTÊ na Paralela/Aeroporto. A idéia é essa mesmo: priorizar transporte na Zona Nobre da cidade em detrimento da Zona Pobre, utilizando com pano de fundo o plano de mobilidade exigido para a Copa do Mundo.
Pouca atenção eu dei, pouco li, até mesmo por estar ocupado com leitura outra. Esta, de extrema importância, que não vem ao caso discorrer sobre.
Pode até parecer um equívoco, mas para mim sempre fica o óbvio, que, é o velho aquilo de sempre, que quando bem traduzido, significa discriminação com a periferia da cidade. Eu vejo (e eu vejo porque além de ter passado vários anos, sempre estou por lá) um exemplo na Zona Suburbana1, que por anos, padece com o precário sistema baseado em velhas Marinettis complementadas com Alternativos e Kombis clandestinas em monstruoso estado de conservação convivendo com um Sistema de Trens sub-utilizado, graças à (entre outras coisas) falta de gestão eficiente associada ao lucro dos empresários detentores das concessões das linhas locais. Aí, sem muito punhetear, modernizar transporte em Salvador e parte da RMS enfim, seria ampliar o Sistema, de Paripe (cê precisa é vir aqui para ver a guerra que é pegar um ônibus que vai para Mapele, Góes Calmon, Simões Filho. Precisa ver!) até Camaçari e da Calçada até o Terminal da França. Trem é barato, rápido, eficiente, polui pouco, não engarrafa trânsito e (mas, porém, contudo, todavia?!) por aqui não é “Moderno!” e eu fico sem entender como não deixa de ser na Europa e nos EUA. Fazer o que? Fazer o que se somos mais “modernos” que o Primeiro Mundo?
Idéia é o que não falta, (uma?!) outra, mui modernizadora (e eu não falo no sentido lato de modernizar), seria implantar a Via Marítima com Lanchas Rápidas operando entre a Barra,Terminal da França, Boa Viagem, Ribeira e a própria Zona Suburbana indo até Aratú e Mapele. Essa, por parecer original me obriga a dizer que não é, simplesmente pelo fato de já ter sido proposto, inclusive, com instalações construídas no Mont Serrat (Humaitá) e na Baixa do Bonfim (Porto da Lenha) e Ribeira (ocioso por somente operar na travessia Ribeira/Plataforma). Posso até alegar a minha má Vontade: Como conceber uma cidade 100% litorânea sem transporte marítimo?
-Posso até extremar minha má vontade: Quantas cidades e localidades no entorno (isso tem circunflexo? Não lembro!) da BTS poderiam ser interligadas por esta Via.
– E eu nem posso deixar de lembrar: por inexistência de transporte marítimo, muita gente deixa de prosseguir com os estudos e acessar serviços de saúde melhor qualificados, simplesmente por não haver como se deslocar para Salvador City. E lembrança leva á dúvida: Será que somente as tradicionais Lanxas de Mar Grande, Ilha de Maré e o ferriado Ferry Boat de Bom Despacho seriam o tudo a ser potencializado nesta Via de inequívoco potencial turístico?

E como deixar de dizer que nem isso é “novo” e que o descaso, associado á rodoviarização, foram os grandes responsáveis por esse “já tivemos” (para Cachoeira, Maragogipe, Nazaré, Cairú…)?
-Acaso tais cidades não estariam inseridas no contexto geográfico de uma futura ampliação da RMS? Quando seremos macro no pensar? Quando vamos entender a necessidade de mudar conceitos? Quando é que vamos pensar (planejar) o futuro e deixar de lado as soluções do imediatismo como profissão de fé?
Até quando eu vou ter que dizer que falta de planejamento apenas resulta em obra inacabada, quando não, ineficiente, mas sempre com a conta sendo paga pelo povo? Até quando eu suporto a me submeter ao continuísmo da minha seriedade? Ora, pois!
-Modernização de Transportes em Salvador sempre sugere velhas piadas e uma delas diz respeito ao moderníssimo Aerotrô2 que como nova solução para a complicada mobilidade soteropolitana, vergonhosamente não se concretiza, ou melhor, não anda. Aliás, se o fizessem como o conceberam nem precisava de nenhum BÊRÊTÊ e muito menos VÊLÊTÊ. Sobre isso tenho que dizer…
-Antes desse teretetê de BÊRÊTÊ e VÊLÊTÊ, tentou-se implantar um “trem” que passaria paralelo a Av. Heitor Dias, me fazendo esquecer o que ligava a que (é aquele concretê que foi demolido para a passagem da Via Portuária (que é aquela, na qual, o Viaduto não “entra” no Túnel do Punhetêtê (que é aquele que fica sob a Ladeira do Canto da Cruz))) e que, sabe-se lá porque, não consegui ser viabilizado. Salvador City é assim mesmo: já tivemos, vamos ter.
Sem querer avacalhar a minha seriedade, tenho que admitir que além da quase VÊLÊ-TÊTISTA, tivemos uma outra experiência. Essa, meio BÊRRÊTÊTISTA, foi operada pela extinta empresa Ogunjá Transportes e sua frota de Volvos articulados na linha Lapa/ (finada e de triste memória) Estação Nova Esperança, que trafegavam pela Via Exclusiva da Av. Vasco da Gama, Av. Ogunjá, Av. Bonocô e Acesso Norte.
Não tão Exclusiva assim, na Vasco da Gama, a Via continua funcional. Ela, é parte do sistema conhecido pelo nome de TMS (Transporte de Massa de Salvador), fruto de uma série de convênios firmados entre a Prefeitura de Salvador, Governo Estadual e Federal para solucionar os gravíssimos problemas de mobilidade na Salvador dos anos 80. Mas aí eu sou obrigado a reconhecer: não sei como funcionam as coisas de Salvador City, se eu soubesse, em vez desse modernoso Aerotrô, que passa bem por cima “do entre” as duas pistas da Avenida Bonocô, reativaria o TMS e ali, embaixo, no meio, dava continuidade á Via Exclusiva com ônibus (e precisa BÊRÊTÊ?) ligando de forma eficiente a (degradada) Estação da Lapa com a (bagunçada) Estação Pirajá. Será que nenhum abençoado viu o imenso espaço entre as duas pistas da Avenida?

Eu vi e fotografei somente para reafirmar o que não sei. Aliás, Se eu soubesse mesmo, aproveitaria essa mesma Via Exclusiva para interligar a Estação da Lapa ao Iguatemi e ao Aeroporto com o mesmo tipo de ônibus, que na verdade, é muito bem menos oneroso que um VÊLÊTÊ, que no futuro, ante a tendência densa de ocupação do espaço entre Mussurunga e Cajazeiras, revelará um complicador de situação: haverá necessidade de interligação com um agravante de associação á dúvida: se Cajazeiras estará ligada a Estação Pirajá pelo Aerotrô, qual será o modal que a interligará com Mussurunga?
Pois é, e como diz o genial Gilberto Gil: Veja bem!
No Projeto Original do Aerotrô, a Primeira Etapa interligará (sabe lá Deus, quando!) a Estação da Lapa com a Estação Pirajá. No ano 2021, será inaugurada a Segunda Etapa, compreendendo os trechos Estação Pirajá/Cajazeiras e Cajazeiras/Estação Rodoviária. Pelo andar da Carruagem, a Terceira Etapa (interligando a Rodoviária com o Imbuí), estará em plena operação em Primeiro de Abril de 2031 enquanto que a Quarta Etapa (Imbuí/Mussurunga) inaugurar-se-á em Fevereiro de 2041(talvez no dia 31!). Entenderam. Não? Nem eu! Mas tudo bem: um VÊLÊTÊ ou até mesmo um BÊRÊTÊ somente se justificará com a supressão da Terceira e a Quarta Etapa do Projeto do pavoroso monstrengo comedor de verba pública que como contrapartida, futuramente, nos brindará com a sua ineficácia operacional.
Pois é, Dona Modernização. Enquanto vosmecê não se viabiliza…
…por meio desta, e em emergenciais condições, venho solicitar das autoridades competentes a licitação de 03 submarinos, os quais, com prioridade de execução dos seguintes serviços…
1- Interligação Mares/Boa Viagem.
2- Travessia da Praça da Estação da Calçada.
3- Travessia da Baixa do Fiscal.
… salientando que tal proposição muito e há muito se justifica, e isto, a um factual por que: á qualquer menor sinal de chuva, qualquer um dos tais locais logo se transforma no maior Rebucêtê.
Sacaneei?
-Espero que não!
Já ia esquecendo…
1-Esse conceito de Zona Suburbana, de Subúrbio Ferroviário me transmite a idéia de confinamento, de gueto e isso me sugere preconceito com parte expressiva da população desta cidade sem falar na monstruosa Ignorância Geográfica: Como Plataforma é “subúrbio” se apenas parte da Enseada dos Tainheiros á separa do “bairro” da Ribeira? Como Itapoan é “bairro” e Lobato, Ilha Amarela, Rio Sena, Itacaranha, Praia Grande, Periperi, Coutos e Paripe, são “subúrbios”?
-Sem muito problema, critérios mais atuais podem ser aplicados para uma nova divisão divisão geográfica de Salvador City. Isso pelo menos serviria para atenuar o preconceito existente com um dos locais mais abandonados (com melhores vistas) de nossa cidade. 
2-Aerotrô é termo apropriado de terceiros (CCH), reporta-se a instalações metroviárias altas em excesso. Em Baianês, uma expressão mais ou menos assim: mano esse metrô aí artão!
https://cid-a77d201b8a5e32b4.photos.live.com/browse.aspx/A%20Moderniza%c3%a7%c3%a3o%20dos%20Transportes%20de%20Salvador%20City

Depois eu continuo reeditando…

Publicado em Notícias e política | Deixe um comentário

Como enterrar uma nação?

FTIE

Apesar dos avanços e recuos, uma das prioridades do governo brasileiro é reaparelhar as Forças Armadas. Pelos planos, em breve o Brasil ganhará um submarino de propulsão nuclear para patrulhar a costa, em especial a região do pré-sal, um grupo de caças de quinta geração para proteger o espaço aéreo do país; e armamentos de última geração para equipar os soldados que monitoram a porosa fronteira brasileira. Como em qualquer país com um poderio militar moderno, o plano do governo prevê que toda a comunicação entre as três forças seja feita via satélite, permitindo a troca rápida e segura de informações. Na teoria, a estratégia de defesa brasileira parece não ter falhas graves e obedece aos procedimentos das melhores forças armadas do mundo. Na prática, no entanto, existe um nó difícil de ser desatado e que, em tese, compromete todo o investimento bilionário que o País se prepara para fazer.

Ao contrário das principais nações desenvolvidas e emergentes do mundo, o Brasil não tem controle nem ao menos sobre um dos quase mil satélites que estão em órbita no mundo hoje. A Índia, por exemplo, tem seis deles dedicados a ela e a China, outros 60. Hoje, todas as informações brasileiras que trafegam pelo espaço – sejam elas militares, governamentais ou de empresas privadas nacionais – passam por satélites privados, controlados por uma única empresa, a Star One, do bilionário mexicano Carlos Slim. Na prática, o Brasil é um simples locador de um retransmissor espacial que tem como função principal gerar lucros para o seu dono. Em uma situação de conflito, seja ele militar ou econômico, em última instância o locador tem o poder de simplesmente cortar o sinal do satélite, fazendo com que todo o moderno aparato militar que o País pretende adquirir se torne completamente inútil.

Desde que o Brasil perdeu o controle sobre seus satélites, com a privatização da Embratel1 em 1998, nenhum caso semelhante ocorreu. Mas o que preocupa especialistas brasileiros em segurança é a mera possibilidade de que isso venha a acontecer. “Não há como negar, é uma ameaça à segurança nacional”, diz o engenheiro José Bezerra Pessoa Filho, do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e ex-diretor da Associação Aeroespacial Brasileira (AAB). Sua opinião é compartilhada por diversos analistas e autoridades. “São informações fundamentais para a proteção de milhares de pessoas”, afirma Thyrso Villela, diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da Agência Espacial Brasileira (AEB).

A dependência a satélites estrangeiros não é um problema restrito à área militar. O governo também depende da boa vontade alheia, ao custo de vários milhões de dólares, para obter dados meteorológicos vitais para a prevenção de desastres naturais como enchentes, furacões e tempestades tropicais. Ficam ameaçadas também a transmissão de dados bancários e as comunicações sobre tráfego aéreo, que em poucos anos terá de ser feito via satélite, conforme determina o padrão internacional. Algumas vozes argumentam que os contratos comerciais firmados pelo governo com empresas de satélites, como a Star One que comprou a Embratel, contêm salvaguardas que garantem a prestação do serviço. Nesse sentido, o descumprimento das cláusulas contratuais prevê multas milionárias. No entanto, numa situação extrema, seja de guerra ou de catástrofe natural, quem vai pagar a fatura pela perda de vidas humanas? O histórico recomenda cautela.

Ao menos em duas ocasiões o Brasil sofreu os efeitos da dependência. Em 1982, durante a Guerra das Malvinas, um dos satélites meteorológicos que fornecia imagens para o governo foi reposicionado pelos Estados Unidos e deixou de fornecer informações sobre o clima em todo o Hemisfério Sul durante dois meses. Em 2005, por conta do furacão Katrina, os americanos precisaram usar toda a potência de varredura de seus satélites para rastrear o fenômeno, reduzindo a frequência das imagens da América do Sul e do Brasil. “Se fossemos atingidos naquela época por um evento da magnitude do ciclone Catarina, que varreu a região Sul em 2004, ficaríamos no escuro”, afirma Villela, da AEB.

A história de dependência começou com a privatização do sistema Telebrás, em 1998. A Embratel, que operava os satélites BrasilSat, passou às mãos da americana Verizon e depois da América Movil, do magnata mexicano Carlos Slim, dona da Star One. Embora fossem satélites comerciais, o governo brasileiro detinha dois transponders de banda X, exclusivos para comunicações militares, instalados nesses satélites. Com a privatização da estatal, todo o controle passou para as mãos privadas.

Há, logicamente, salvaguardas pelas quais a operação desses satélites é feita somente por brasileiros. Mas os militares não têm controle sobre esses equipamentos, não podem desligar o satélite ou mudar sua posição. “As salvaguardas servem para mitigar o problema da soberania”, reconhece o coronel da reserva Edwin Pinheiro da Costa, chefe da seção de Telemática do Ministério da Defesa e responsável pelo Sistema de Comunicações Militares (Siscomis). Vale lembrar que a Verizon foi arrolada nos EUA numa polêmica sobre fornecimento de dados telefônicos de seus clientes ao FBI e a agências de inteligência do governo.

Uma das diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa (END) é o desenvolvimento do Satélite Geoestacionário Brasileiro, o SGB. Para tirar o projeto do papel é preciso empenho político e recursos financeiros. Uma das tentativas é construir um foguete próprio capaz de lançar o satélite brasileiro. As primeiras tentativas terminaram com a destruição da Base de Alcântara, no Maranhão2, após a explosão de um protótipo. O mais próximo que o Brasil chegou para voltar a ter satélites próprios foi uma minuta de intenções para firmar uma parceria com a França. No entanto, as negociações para que o acordo saia estão paradas há dois anos. Enquanto isso, todo o sistema de comunicações do País continua nas mãos do bilionário Carlos Slim.

1- Caso alguém já tenha esquecido: o Sistema de Telecomunicações do Brasil foi entregue aos estrangeiros durante o Governo Lesa Pátria de FHC.
2- Há quem diga que a Base de Alcântara foi alvo de sabotagem para que o Brasil não pudesse entrar no rentável Clube dos Lançadores de Foguetes.
Fonte: (Brasil devassado) Revista Isto é de 18.05.2011

Publicado em Politica, Sem categoria | Deixe um comentário

Contestações de Enki


Desejo a todos, uma semana repleta de muita Paz, Sabedoria e que o Divino Espirito Santo de Deus ilumine a cada um de vocês.

Uma grande abraço,

Silmara

 

                                    Enganosa é a graça, e vã, a formosura,

 mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada.  Pv 31.30  


 

Contestações de Enki

1- QUEM O CRIOU?

Lúcifer : Fui criado pelo próprio Deus, bem antes da existência do homem. [Ezequiel 28:15]

Para começo de conversa, meu nome não é Lúcifer e muito menos Diabo. Tais nomes foram inventados para implementar uma política dualista na religião. Se você quer continuar me avacalhando, tudo bem. Pode continuar me chamando de Satã, mas, por favor, veja a origem desse nome e mais, por gentileza, traduza-no e, aproveite para saber de onde vem a palavra Deus, e o que significa…

-Quanto a quem me criou, trata-se de uma pergunta para retardados mentais. Na verdade ninguém me criou p…. nenhuma. Sou que nem qualquer coisa viva. Sou meramente um produto da evolução, fui feito e parido que nem qualquer ser humano, ainda que, numa época muitíssimo anterior á de vocês.

 

2- COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?

Lúcifer : Vim à existência já na forma adulta e, como Adão, não tive infância. Eu era um símbolo de perfeição, cheio de sabedoria e formosura e minhas vestes foram preparadas com pedras preciosas. [Ezequiel 28:12,13]

Que saco! É culhudaria, gente. Culhuda braba! Na verdade, eu tive infância, tive pai, e mãe. Nunca fui símbolo de perfeição nenhuma. Admito até a sapiência, mas formosura. Qual é de mesmo? Tá querendo tirar é?

-Essa pergunta idiota já foi respondida, é praticamente a anterior. Por resposta errada, tenho que dizer…

-Minhas roupas feitas de pedras preciosas. Eu não agüento. Eu uso o que vocês usam nos seus afazeres. Esse negócio de roupa cheia de pedraria não é comigo não. Por acaso vocês já me viram em algum baile á fantasia, desses de segunda feira de carnaval?


3- ONDE VOCÊ MORAVA?

Lúcifer: No Jardim do Éden e caminhava no brilho das pedras preciosas do monte Santo de Deus. [Ezequiel 28:13]

Onde eu morava? Que p…. de onde eu  morava é essa? Não estou morto não! Estou na minha casa aqui no meu planeta. Aí na Terra, eu morei em vários lugares e gostava de Eridu (foi eu quem fundou essa cidade, nosso primeiro posto avançado aí, há mais de 436 mil anos atrás) e de Tatenen (que bem depois, e ainda respeitando o meu nome, passaram a chamar de Egito sem nunca dizer que o nome significa O Tempo do Espírito de Ptah), e mais, nunca caminhei em nenhum brilho. Essa p…. de brilho, foi inventado por vocês, e isto, porque nunca se conformam com pouco barato. Tenho que falar?

-Nosso pessoal aqui também gosta de se drogar legal, porém, é com álcool. Aliás, com a cerveja, que eu leguei para vocês (como se bem pode ver no Egito Antigo) e com vinho, que aliás, eu não “administro” bem, ainda que tenha que dizer que essa bebida é legado do meu irmão. É só ler a Bíblia lá em Gen. IX. Ler e entender!


4- QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?
Lúcifer: Como querubim da guarda, ungido e estabelecido por Deus, minha função era guardar a Glória de Deus e conduzir os louvores dos anjos. Um terço deles estava sob o meu comando.

[Ezequiel 28:14; Apocalipse 12:4]

Mais conversa mole! Mais pergunta besta!

-Na verdade não é nada disso. Eu nunca fui Querubin (é mais uma confusão!) de guarda nenhuma, nunca guardei nenhuma Glória nem conduzi louvor de “anjo” algum. E, (toda vez é isso, a mesma ladainha) com relação a esse nome alternativo aí, Lúcifer: eu nunca carreguei nem portei p….  de  luz nenhuma porque sempre tive gente qualificada para isso ( carregar coisas). A propósito, você tem algum crachá meu, me identificando como funcionário de alguma Concessionária de Energia Elétrica? Nunca param de me desqualificar, de encher o meu saco com besteira…

-Toda vez é isso. Uma manada que se alimenta de alfafa por não saber escolher o que come e eu tendo que dar remedia prá dor de barriga. Vamos esclarecer esse negócio de uma vez…

-Meu nome é Enki, ainda que me chamem por outros nomes como Ea, Enki, Ptah, Olekum, Poseidon, Netuno…

-Eu era chefe da galera toda, mais aí, puxaram meu tapete e, de  sacanagem nunca deixam que você leia essa parte da História, e pior: não permitem entendimento aos que leram. Há muito a ser esclarecido e eu nada posso fazer senão tentar…

 -Eu era o responsável direto por um vasto empreendimento aí na Terra. O tal, o dito cujo, era relacionado com mineração de ouro. Esse ouro era purificado e depois reduzido ao máximo, digo refinado ao máximo, á estrutura molecular. Sei até que vocês não entendem isso, é alta tecnologia que não vem ao caso explicar aqui. No entanto, posso dizer o porquê do ouro…

 -Era para resolver um problema de extrema gravidade: o nosso planeta estava progressivamente perdendo a atmosfera e o ouro era para ser espalhado na mesma. Não gosto de botar medo em vocês, porém, tenho que dizer que isso foi devido a nossa excessiva atividade industrial. Vocês estão com problema parecido e poucos realmente estão se importando: uma coisa é certa: o descaso ambiental vai ferrar o seu planeta, ou melhor, já está ferrando e poucos estão sabendo!

 

5- ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?

Lúcifer: (reflexivo, diminuiu o tom de voz) Não, nada. [Ezequiel 28:13]

O que? Naqueles tempos?

-Faltava sim, e como. Para começar, era um trabalho exaustivo, de longa jornada e num lugar estranho a nós. A atividade era o que vocês qualificam como trabalho escravo e o local (de trabalho), era o que aí (por “engano” deliberado), qualificam como o inferno. Também, faltavam mulheres e isso, era um problema grave. Não somos assexuados, nem andamos batendo asinhas por aí. Se é que você está entendendo o que estou a dizer, dá pelo para ver o “diabo” do problema que eu tinha que enfrentar em cada temporada, que aí na Terra, demorava 3600 anos. Pense 3600 anos. Pense!

 

6- O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?

Lúcifer: Isso não aconteceu de repente. Um dia eu me vi nas pedras (como espelho) e percebi que sobrepujava os outros anjos (talvez não a Miguel ou Gabriel) em beleza, força e inteligência. Comecei então a pensar como seria ser adorado como deus e passei a desejar isto no meu coração. Do desejo passei para o planejamento, estudando como firmar o meu trono acima das estrelas de Deus e ser semelhante a Ele. Num determinado dia tentei realizar meu desejo, mas acabei expulso do Santo Monte de Deus. [Isaías 14:13,14; Ezequiel 28: 15-17]

Não foi assim. Não é nada disso e ainda dizem que eu sou o pai da mentira!   

-Nunca sobrepujei ninguém, não preciso, não é o meu perfil e você nem entende. Gabriel e Miguel são gente boa, nunca tive atrito com eles, o problema era com o meu irmão e, tenho que esclarecer as coisas ainda que pelos erros gramaticais (os meus, eu assumo!) tenha que dizer que não sou o responsável por isso aí em cima. Para responder isso, essa pergunta, eu tenho que ir “falando” o que de fato aconteceu…

-A produção de ouro (que inicialmente era extraído das águas do Golfo Pérsico) não apresentava os resultados esperados, dai, fizemos prospecção no solo de vários continentes e o lugar mais promissor era o sul do continente africano.

È meu amigo, lá mesmo, na terra do ouro (no Abzu). Lá, as condições de trabalho pioraram sensivelmente. Tranquilamente posso te dizer…

-As condições eram a que vocês chamam de trabalho precarizado e para complicar, a produção nunca era o suficiente. Por esse motivo, e só por esse motivo, é que o meu irmão resolveu visitar a Terra do Ouro. Ele queria ver o que de factualmente ocorria. A presença dele acirrou ânimos, houve uma greve e ele queria punir o pessoal envolvido e só não o fez porque o meu pai, An (também conhecido como Anu, An, Céu, Urano…), principal líder do meu planeta natal, informado sobre as condições do nosso trabalho, atendeu as reinvindicações (que basicamente se reportava a mais turmas de operação com revezamento e um lugar para descanso) e não permitiu punições. A humanidade podia saber disso se lesse. Esse é o problema…

 Eu não sou afeito á de crítica, porém, não posso me furtar á verdade: a maioria de vocês não gostam de ler, preferem “packs” e mesmo (na maioria das vezes!) quando se aventuram, não se aprofundam no assunto. Ainda assim, de qualquer forma que se leia, isso está inserido na no contexto “mitológico” dos antigos povos das terras entre os dois rios (Senaar na Bíblia, em Gen II, por ex.).

-Ah, sim. Enlil. Ele é um Administrador extremamente competente, mas não um Técnico. Ele não podia entender de trabalho, digo das especificidades técnicas de um trabalho em condições de extrema anormalidade. Não podia mesmo. Para ele o que importava era o resultado, o ouro. O ouro que salvaria o nosso planeta! 


7- O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?

Lúcifer: Quando percebi que Deus estava para criar alguém semelhante a Ele e, por conseqüência, superior a mim, não consegui aceitar o fato. Manifestei então os verdadeiros propósitos do meu coração. [Isaías 14:12-14]

Quáquá,rá,quáquá. “Eita” mentirazinha safada da gota serena e ainda com a mesma pergunta…

-Seo moço, fico até envergonhado. Já expliquei aí em cima e tenho que explicar de novo. Mais…

-Sobre o que “detonou a rebelião” foi o que já citei para uma mesma pergunta: precarização do trabalho, trabalho precarizado. Quanto á “minha criação”, tenho que repetir: ele não me criou não seo moço. Ele não pode fazer isso. Ele é meu irmão e eu sou mais velho que ele muito embora ele seja o CGPT por questão relacionada á sucessão do meu pai. Essa coisa é meio complicada para explicar. Se der, eu falo mais tarde sobre…

-Quanto a vocês, humanos, fui eu! Eu e minha irmã, ainda que o termo não seja o adequado. Não os criamos, demos sim, imagem e semelhança a vocês, que na verdade, são muito parecidos com a nossa gente. Devo até dizer: vestido como vocês, qualquer um de nós passa despercebido, se bem que, talvez, alguém estranhasse a nossa pele estranhamente branca, digo, pálida (nosso mundo é extremamente frio por causa da enorme distância que estamos do Sol e vocês ficam aí chiando á toa!) e cabelos compridos da cor de prata. Talvez até reparassem pela nossa estatura um pouco anormal já que gente de 2.0/2,20m de altura não é coisa assim, tão comum no meio de vocês. Vou simplificar a coisa: qualquer elemento grandalhão que não seja vítima de problema na hipófise, que tenha sobrancelhas fechadas, cabelo “prateado” e pele excessivamente “branca” pode ser qualificado como “Elemento Suspeito”, recém chegado. Entendeu? Lamento que isso vá servir de alento para os nazistas de plantão. Eles não “sabem” que quem determina o homem é o meio no qual ele vive. Nós como qualquer organismo vivo nos adaptamos ao meio em que vivemos. Acredite. Aí nossos genes ordenam produção de melanina, mas sempre tomamos medicamentos para nos proteger da radiação solar que provoca câncer de pele tanto em nós como em vocês. É isso, biologia básica. Mas para falar mais disso, tenho que prolixar um pouco…

-Com nossas roupas cerimoniais, o nosso pessoal infligia medo e pavor a alguns de vocês. Por ex, o meu sobrinho, Shamash, gostava de se vestir de “Águia” (isso porque ele sempre estava envolvido com atividade espacial), Ishtar, (também conhecida como Inanna, Astarte, Vênus, Afrodite…), “problemática” como sempre, gostava de militarismo e aí, desfilava um look de guerreira armada até os dentes, quando não, de aeronauta ainda que também adorasse andar em pêlo.

Marduk (conhecido também como Rá e Merodach) e alguns outros do primeiro escalão possuíam aeronaves particulares. Eu, porque sempre desenvolví atividade relacionada com o mar, utilizava “roupa” de mergulhador tanto que no Golfo Pérsico, me retrataram como um homem-peixe. Homem-peixe é demais. Dá para imaginar um cara andando por aí sacudindo as barbatanas. Mentaliza!

-Sacudindo as barbatanas e ainda balançando o rabinho! Aí, já é demais, e tudo devido ao desconhecimento á respeito de certas informações. No caso, eu nem culpo Berose. Ele era um sacerdote babilônico tardio que escreveu uma História Antiga (cujos fragmentos chegaram a vocês através dos gregos) contendo vários equívocos somente desmentidos quando os “originais” foram traduzidos. Ironia do destino: foi estudando cultura grega que muita gente chegou a Berose e entendeu (por associação de idéias) que os homens peixes da “antiga” terra entre os rios somente poderiam ser mergulhadores. Impressionante ou irônico: eu e mais seis iguais a mim entrando a noite no mar e saindo pela manhã, lá no Golfo Pérsico, para ensinar a plantar, a criar gado, a tratar metais e vocês…

-Me chamando de divindade anfíbia por desconhecerem um banal submarino. Berose. Tudo bem, mas você… Precisa aprender a associar idéias!

 
8- O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?

Lúcifer: Eles me seguiram e também foram expulsos. Formamos juntos o império das trevas. [Apocalipse 12:3,4]

Bem, primeiro é que nem foi bem assim: ninguém foi expulso de lugar nenhum. Ninguém fundou império algum. Segundo: esse negócio de anjo sempre foi voz discordante. Ninguém aqui anda batendo asinha prá lá e pra cá. Podemos voar (já falei!), porém, mediante meios mecânicos.

 Desprolixando… 

-Os ânimos estavam mesmo exaltados e o meu pessoal queria mesmo pegar meu irmão. Greve é greve e eu era peça importante naquele movimento paredista e mesmo assim, não podia admitir aquela situação que me obriga a perguntar: deveria ser eu (ou não?) o patrono dos Sindicatos Operantes do Planeta Terra? Pois é…

-Ainda que eu seja na maioria das vezes visto e (eu tenho minhas razões!) entendido como um opositor á Enlil, eu nunca vou negar que ele é meu irmão, e (não por algum poder especial) um importante liderança interplanetária. Dá para ver então? Dá para ver para quem sobrar? Em definitivo, dá para ver quem tinha que encontrar solução para o problema?

-Eu sei que vocês, grandes especialistas em História vão se retar com a minha cara sem que eu possa fazer nada e ainda assim, eu tenho que falar porque o meu lema é Tudo em Nome da Verdade. Aliás, não são vocês que vivendo a negar passam a vida dizendo que tudo tem que ser dito e bendito?

O que dizer se por mentira, vocês não passam de mero retrato da verdade?

 -Não sabem o que faz e eu ainda desculpo por algo bem simples: sempre espero que tudo fique bem…

-Naqueles dias pelos nossos acampamentos passeavam umas criaturas curiosas, arredias, um tanto parecidas conosco. Um tanto parecidas, mas nem tanto, entende? Para que mentir, se algumas delas a gente até adotava como mascote?

– Elas estavam em processo evolutivo pelo qual havíamos passado antes (muitíssimo antes), no nosso planeta, e aí, eu tive a idéia…

 Eu tive e propus a idéia a minha irmã: vamos “evoluir”, apressar a evolução dessas criaturas?

 -Conhecedora extrema dos mecanismos da Genética, assim como eu, ela topou na hora sabendo que era um desafio á altura do nosso conhecimento científico. Para que mentir? Para que ocultar os fatos? Porque não á verdade?

– O meu irmão não entende nada de bio-tecnologia. Sem ser gabão, tranqüilamente digo que nesse campo Enlil nem é Mané, é Otacílio!

-Antes mesmo de comunicar oficialmente tal idéia ao Conselho dos 7 que Julgam e Decidem, a gente já vinha fundindo espécies diferentes para ver o que acontecia. Se vocês acham antiético, tudo bem (seus cientistas vão fazer a mesma coisa, se é que nas entocas já não o fazem!) era uma forma de matar o tempo que, eu também matava pescando, bebendo cerveja e… vocês nem sabem: todo mundo que estuda, que se dá á pesquisa, que tem paixão pelas águas e meio ambiente, que são doentes por cerveja, que são furunfadores incondicionais, que odeiam injustiça, que são honestos acima de tudo, estão associados a mim e a frente, vocês saberão o por que desse porquê.

De erro meu, admito relacionamento sexual com a minha meia irmã, coisa que me irmão também fazia, mas disso, para não estropiar o raciocínio, vou deixar para falar adiante, se ele não quiser…

-Vocês não sabem o que é criar vida, a maioria de vocês nem sabem o que é tirar onda de “deus”…

-É o maior barato fundir células reprodutoras de espécies diferentes. Matéria prima (me desculpem o termo) era o que não faltava, criávamos verdadeiros monstros. Era o maior barato, pura diversão para nós. Diversão e experiência, claro!

Depois de testarmos as possibilidades, e foram várias, vimos que a mais promissora daquelas espécies era aquela que o pessoal (não os burros de plantão) da Antropologia Física chama de Homo habilis. Isso até que eu gosto de dizer: dentro da escala evolutiva, ela estava muito acima do que vocês aí chamam de “habilis” e mais, existiam várias espécies, o que, consequentemente, dariam origem a várias espécies de homem. Dá para você imaginar o problema social decorrente da situação?

Pois…

-Misturar células reprodutoras de espécies diferentes para ver o que dá é a maior moleza, forjar uma nova espécie, com a nossa essência, aí é rabo, bronca. É a maior merda!

-Pois é: capturamos uma fêmea de “habilis” e a mantivemos como se fosse a nós mesmos. Como se fosse uma fêmea da nossa espécie. Alimentação nossa, procedimentos médicos nossos, medicamentos nossos, entenderam?

-Ao mesmo tempo purificamos a essência de um dos nossos rapazes. Aí, quando a “habilis” estava pronta, ovulando, entende?

 -Retiramos o óvulo e, o fundimos ao espermatozóide (dizem que foi o meu, e eu, nem tô aí! Não foi!) e, bingo. Clonamos o óvulo e o implantamos nas nossas fêmeas…

-Por vezes, eram 14 por vez, sete partejando machos, sete partejando fêmeas, e isso, por longos anos (se vocês tivessem lido, eu não estava aqui, explicando). Sabem? Fertilização in Vitro, entende?

-Meio a contragosto, Enlil viu que todo o nosso trabalho progressivamente passou a ser executado pelo ser humano. Uma beleza! Ah, você não acreditam mesmo e não pode acreditar…

-Quanto mais a gente produzia e refinava ouro para ser aplicado na atmosfera do nosso planeta natal, mas a gente precisava de mão de obra, aí,

ato contínuo, repetíamos o processo.

 Como fazer acreditar que os primeiros vocês eram híbridos? Como fazer acreditar que híbridos (“burros” e mulas em geral sabem muito bem disso) não se reproduzem? Tenho que dizer isso, que qualquer analfabeto em biologia tá de saco cheio de saber? Pois é!

-Graças aos primeiros vocês, produção de ouro ia de vento em popa lá na África do Sul (rapaz, me dizem que até hoje vai!) e ao mesmo tempo na terra entre os rios (em Bad Tibira), sobrava ouro para ser beneficiado, o que, provocava atraso de envio das remessas de ouro ao nosso planeta. E isso nem é nada. Lá, o pessoal ainda tinha que executar “n” tarefas outras como regular o curso do Tigre e do Eufrates e isso, gerava insatisfações incríveis!

-Meu irmão Enlil, o Senhor do Comando, o CGPT (como vocês gostam de qualificar quando estão a fim de sacanear um chefe) foi ver o que acontecia, chefes são assim mesmo, somente se importam com os resultados. Por milênios, eu canto á insensatez dos deuses…

-Na verdade, ele queria levar os meus trabalhadores para Senaar…

 

-Eu tranquei minhas criaturas na mina,

com as minhas criaturas, eu me tranquei,

na mina, eu, meus amigos, meus lulu amelu.

E Enlil, Enlil! Enlil, trouxe Alani,

a força suprema de Alani…

 

 -Suprema, a força de Alani,

Um rasgo no seio da mina, fez.

E Enlil viu minhas criaturas,

e Enlil chorou quando viu minhas criaturas,

e Enlil profanou nosso sangue,

e, foi por querer minhas criaturas,

e Enlil levou muitas minhas criaturas.

Para as terras entre os dois rios, ele as levou…

-E eu, não odeio Alani…

-E eu, não odeio Enlil…

            

 -E a Bíblia (Gen. II), diz que o ““Senhor” tomou o homem e o colocou no Ed-in para que zelasse e guardasse” sem dizer onde o homem estava, sem dizer de quem tomou, sem dizer que tomou de mim…

 -E eu, não odeio a Bíblia…

-Ele, Enlil, nem via: as meninas já tinham começado a se retar com esse papo de “Deusas do Nascimento” e aí, sobrou para mim e para a minha irmã, Ninhursag, também conhecida como Ninti ((Ela que dá a Vida, Senhora da Vida) entre outros tantos epítetos), que sendo uma das tais “Deusas” já não agüentava mais a situação…

-Lá na terra entre os rios, Ele nem “via” os primeiros vocês, não via que eles aprendiam facilmente tudo o que o que a gente ensinava, e mais, ele nem via que em alguns casos, alguns dos primeiros vocês se relacionavam sexualmente com o nosso pessoal.

 

Eu não posso mentir. Quem gosta de mim não mente, a menos, que desconheça a História ou que dela não queira saber…

-Sem que ele soubesse (e vocês já devem ter percebido que não temos poder de saber o que um outro anda fazendo!), decidimos fazê-lo, decidimos dotá-los de capacidade reprodutiva, torná-los factualmente como nós mesmos, entende?

Vocês sabem. Adamah e Chava (Adão e Eva). Sabem? Pesquisas com células-tronco. Sabe? Eu sinto muito!

Tão iguais a nós, se reproduzindo, sabe?

Compatíveis sexualmente conosco, sem hibridização, sabe?

Deu um trabalho danado, mas fizemos. Fizemos em Eridú porque lá o meu laboratório de biotecnologia era bem melhor equipado, “N” vezes acima da tecnologia que vocês, começando agora, ficam chamando de Tecnologia de Ponta…

-Ele, se retou, mandou me encarcerar, queria me ferrar no Conselho dos 7 que Julgam e Decidem. Irado, esqueceu que eu sou um dos 12 (doze horas para o dia, 12 outras para a noite, 12 meses do ano, 12 Apóstolos de Cristo, 12 Tribos de Israel, 12 corpos celestes principais no nosso sistema solar, 12 Deuses Principais). Sabe?

-Eu acho que a raiva dele foi o fato de eu ter utilizado a minha própria essência no processo. Eu acho, não! Não tenho certeza. Marcadores genéticos influenciam por “N” anos e vocês ainda discriminam albinos dizendo que eles o são por possuir genes recessivos. Ah, sim!

 

-Eu fui absolvido explicando que não era justo as mulheres se submeterem ao contínuo desgaste do partejar e que era um contra-senso deixar que astronautas e técnicos se desqualificassem num trabalho não compatível com a formação que tinham. E ainda me escroteiam, é preciso esclarecer mais!

No passado existiam várias espécies de Australopitecus e uma delas (o africanus) originou o “habilis” e outras espécies Homo seqüenciando a evolução das espécies humanas. É incrível ver como essa engrenagem funciona: os que mais se adaptam ao meio sobrevivem, os que não se adaptam simplesmente desaparecem, ainda bem!

Já pensaram?

-Se hoje houvesse várias espécies de humano? Já pensaram na nossa mãozinha? Já pensaram?

 Vocês e uns Neanderthais “primitivos” em Broken Hills (Zâmbia), No Monte Carmelo, em Kafzeh (Israel), no Vale de Neander (Alemanha) em Gibraltar, Lapedo (na velha Ibéria) em Shanidar (Iraque), em La Chapelle-aux-Saints (França) Mais…

-Vocês e uns “Erectus” na Ásia, Nasoropa, sem nem saber que os mais antigos genes humanos são “made in Africa”?

Ora, Senhor! Darwin estava quase 100% certíssimo quanto a Origem das Espécies, quase 100% há que se admitir que é um bom alento para as pretensões da humanidade…
9- COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?

Lúcifer: (com raiva) Tenho ódio da raça humana e faço tudo para destruí-la, pois eu a invejo. Eu é que deveria ser semelhante a Deus. [1Pedro 5:8]

Mais mentira camarada? E eu tenho que encarar numa boa?  Vocês humanos são como qualquer um de nós e ainda assim eu não consigo acabar com essa palhaçada…

-Porque carga d’água vou invejá-los, ou odiá-los se basicamente, vocês são nós, da mesma forma que somos vocês. Vou insistir. O problema é que inventam um monte de dança e vocês nem se dão ao luxo de olhar a música que tocam…

Isso já devia estar entendido. Eu em tudo sou semelhante ao meu irmão, a vocês e aí, tenho que esclarecer…

 Esse papo de semelhança não é verdade. Essa estória de atravessar parede, estar em dois lugares ao mesmo tempo, de não comer (no bom e no mau sentido!), de não beber, não passa de trolóló. Ademais, não andamos á velocidade da luz (Einstein até já disse, e com toda certeza, que matéria acelerada a velocidade da luz se converte em energia). E mais…

 Não somos imortais e, ainda que em relação a vocês tais situações sejam tidas como verdadeiras, sinto-me na obrigação de dizer que as Leis da Física e da Biologia são universais, portanto, as mesmas para entes físicos (se quiserem o termo Entidades Biológicas Extraterrestres, tudo bem!) como nós e vocês. Leiam o Gênesis, o Êxodo, e o livro de Josué. Entre outros livros da Bíblia, esses livros pormenorizam o que estou dizendo. E mais, mais uma vez…

-Da minha essência eu criei vocês e, portanto, não posso odiá-los. Eu nunca quis destruir ninguém e não existe nenhum motivo para eu invejá-los. Se fosse para fazer queimação, eu até diria que isso sempre foi vontade do meu irmão, Contudo, mas, todavia, porém…

-Como vocês foram feitos “a nossa imagem e semelhança” vocês são compatíveis sexualmente conosco, e isso (desculpem-me a chuleza do termo, mas esse é o mais apropriado), deu numa tremenda putaria.

A Bíblia até cita: vendo que as Filhas do Homem eram muito belas e formosas os Filhos de Deus as tomaram como mulheres (Gen. VI.). Está ai uma verdade verdadeira que precisa de um complemento: havia também filhas de “Deus” e elas, tomavam homens e partejavam filhos e estes, assim como os outros eram normais como qualquer criança. A diferenciação, somente dependia da proximidade que ela tinha do nosso povo e eu até digo como isso era feito. Alimentação adequada, medicina avançada, terapia genética com acompanhamento constante (isso já me disseram que vocês já estão fazendo aí), conhecimento técnico/científico e nada mais.

Tenho que insistir: negaram a história e ainda escreveram errado para dar baratino, para manipular, para escravizar mentes vazias, mas deixe eu prosseguir para mais uma vez poder ajudar…

– Há uns 12 mil anos de vocês, a terra passava por mudanças climáticas, igualzinho a essa que está ocorrendo agora. Tenho mesmo que dizer: a maioria de vocês nem sabe más já me disseram que entre vocês já tem gente se preparando para o pior. Pois é…

-Naqueles dias o clima se tornou seco, a aridez tomou as terras fazendo com que a agricultura se tornasse impraticável. Agricultura e a pecuária, devo dizer. A água, tinha se tornado escassa e a fome, imperava a tal ponto que casos e mais casos de canibalismo se disseminava entre os humanos. Ninguém fala a voz do meu irmão: “Que pereçam pela fome!”

 

-Enlil, nada fazia para por um fim naquele tormento, ele apostava no fim da humanidade e via na mudança climática uma forma limpa de conseguir seu intento e os motivos, são os mesmos citados e já recitados: união sexual entre humanos e “deuses” e a defesa da proposta do planeta Terra se tornar o nosso definitivo lar, coisa que sempre fui contra ainda que tal proposta, reacionária, faça sentido, o que, me obriga a uma explicação por em detalhes pormenores, o que momentaneamente, vai alterar o rumo dessa prosa e o pior, vai exigir umas respostas relativamente complicadas por simples, digamos assim, conhecimento científico de quem ler  essa entrevista. Eu posso subverter? 

10- CLARO, QUEM SOU EU PARA DIZER NÃO?

 -Se eu perguntasse o que é uma estrela, quem iria dizer que estrela é um reator nuclear que converte Hidrogênio em outros elementos químicos mais pesados que ele?

-Se eu perguntasse o que acontece quando uma estrela queima todo o seu Hidrogênio, quem iria dizer que não é bem assim, que depende do padrão da estrela, quem iria dizer que mesmo no fim da sua Sequência Principal uma estrela como o Sol pode possuir uma considerável disponibilidade de Hidrogênio nas suas camadas mais externas?

Vê? As coisas não são fácies de entender e olhe que existem estrelas com massa muitas vezes maior que a do Sol (Sol=1m). Essas queimam tanto Hidrogênio que acabam “explodindo” antes da hora em função do imenso valor de temperatura de Núcleo. Pode parecer irônico dizer que essa é a nossa sorte: essas estrelonas de vida curta (1~5 M.A.) normalmente são as mães daquelas que “vivem” 10B.A. como o nosso Sol. É, por hora, é isso que precisa ficar entendido?

-ACREDITO QUE SIM

Pois é, pode acreditar que não!   

-As imensas ondas de energia liberadas na explosão desse tipo de estrela, que particularmente eu gosto de chamar de superhipergigante (há poucos dias vo-
cês registraram uma com 250MS), pode, pela proximidade relativa, desestabilizar estrelas menores e seus sistemas planetários. Isso pode ter sido o que aconteceu com o nosso Sistema Solar ainda que eu não possa descartar a hipótese de um planeta se formar á revelia (isto é…), sem estar atrelado a uma estrela.

Complicado? Ficou entendido? Conjecture á vontade, porém, sabendo de antemão, que quanto á interação entre o meu planeta e o seu, eu posso falar a vontade. Isto, se você permitir!

CLARO, QUEM SOU EU PARA DIZER NÃO?

 -Independentemente de conjectura, o fato é que por milhões e milhões e milhões de anos o nosso planeta vagou pelo vazio interestelar até que um dia foi atraído pela força gravi-tacional de um outro, orbitalmente submetido ao Sol.

Esse planeta, que chamamos de Nudimud (um dos meus epítetos), e vocês, atuais, de Netuno, atraiu gravitacionalmente o nosso quando há muito o Sol já tinha definido o seu sistema planetário que na época possuía uma configuração bastante diferente da atual, alterada que foi, graças, digamos assim á nossa “intromissão”. Essa parte da história, que deixamos como nosso legado á humanidade é de conhecimento da maioria de vocês, ainda que indiretamente, através da Bíblia. Ah sim, antes de subverter, eu, estava falando do que mesmo?

DO FIM DA HUMANIDADE

-E ainda dizem que existe um criador e que eu sou o poderoso Filho do Criador… 

-Ah, sim!

Diante da calamidade eu sempre dava um jeito de conseguir alguns suprimentos para os meus seguidores e isto somente porque não havia nenhuma condição de alimentar a todos. Isso era fonte de vários atritos entre eu e o meu irmão e disso quase ninguém fala…

-Ninguém fala que ele planejou exterminar um certo número de varões  e esterelizar mulheres. Ninguém fala que o principal motivo da raiva dele era o fato de nosso povo se relacionar sexualmente com o seu. Ninguém fala, só por isso eu repito…

 

-Por causa da mudança climática havia risco das geleiras do Pólo Sul (da Antártida, entendem?) se desestabilizarem (como está acontecendo agora, entendem?).

Era o meu pessoal quem respondia pela monitoração do clima. Trabalho facinho, facinho quando se está orbitando a Terra numa gigantesca estação espacial prá lá de super equi-pada com o melhor da nossa tecnologia. Devo até dizer que essa plataforma era a ponte entre o nosso planeta e a Terra, que nossas naves maiores vinham do nosso planeta e acoplava na plataforma e que as menores faziam o transporte regular. Rapaz eu tenho um orgulho danado de vocês: colocaram uma em órbita (é pequena, tudo bem, mas adequada as suas necessidades) habitada e com revezamento de pessoal…

-Bem, o pessoal que cuidava da plataforma eram eles, os Igigi (traduzido ao pé da letra, os que vêem e observam, astronautas, não é mesmo?), eles eram os responsáveis pelo envio do ouro para o meu planeta. Eram eles que me respondiam as perguntas. Eu somente dizia quando ia chover ou “fazer sol”. Era o maior barato essa onda de “Senhor do Tempo” tanto, que até entre nós havia quem acreditasse, simplesmente por desinformação. Incrível, inacreditável, não é?  

-Fiés a mim, somente a mim, os Igigi me informaram, eu dei o alarme, eu alertei sobre o que estava para ocorrer. É mais uma parte da História que a maioria de vocês nem acreditam, não podem, porque não deixam…

-Eu falei aí em cima que o período orbital do meu planeta é de 3600 anos e, não falei que ele, na complementação da órbita ocasionalmente pode se aproximar da Terra (isso, claro, a depender do momento orbital de vosso planeta). Não falei que quando isso acontece, a influência gravitacional desestabiliza a Terra, e aí, acontecem pavorosas catástrofes que simplesmente ceifam vidas humanas.

 

A maioria do nosso povo sente, mas nada podemos fazer e vocês, coitados, ainda acham que podemos tudo. Não podemos, ou melhor, podemos o mesmo que vocês podem, e como nós, não há como se mudar o rumo dos astros.

Os que dizem que podemos tudo são os mentirosos de todo o sempre e até digo mais: não há nenhum juízo punitivo. Isso foi inventado pelos que entre vocês querem o poder sobre tudo para manter o domínio sobre todos. Eu lamento isso. Lamento profundamente e mesmo que pareça reflexão filosófica, não posso me locupletar na mentira. Isso é herança nossa!

 

-Naqueles dias (em que Enlil andava as turras com vocês, e comigo, por defendê-los) o período orbital da Terra coincidia com o periélio do nosso planeta. Oooops! Periélio? Tá bem!

-Sei que muito de vocês estão ficando espertos, mas um bando de gente nem sabe o que é essa p…. de Periélio. Tem problema não, eu explico numa boa porque também me saio bem em Ciências Espaciais:

A palavra tem sua origem atual no latim vem de peri (à volta, perto) e hélio (Sol), é o ponto da órbita de um corpo, seja ele planeta, planetóide, asteróide ou cometa, que está mais próximo do Sol. Quando um corpo se encontra no periélio, ele tem a maior velocidade de translação de todo o seu período orbital. Quando o corpo em questão estiver orbitando qualquer outra estrela que não o Sol, utiliza-se o nome genérico periastro para identificar esse ponto. A distância entre a Terra e o Sol no periélio é de aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros. Isto ocorre uma vez por ano, próximo do dia 4 de janeiro e já que estou por aqui, vou aproveitar para falar da situação em contrário…

– O ponto da órbita em que o planeta, ou planetóide está mais afastado do Sol é chamado afélio. A palavra tambem vem do latim “apos” que, significa longínquo.

A distância entre a Terra e o Sol no afélio é de aproximadamente 152,1 milhões de quilô-metros. Quando um astro se encontra no afélio, ele tem a menor velocidade de translação de toda a sua órbita. O planeta Terra passa no afélio no dia 4 de Julho de cada ano. Se ficou entendido (e isso nem é tão dificil de entender), o “verão” de vocês dura mesmo 365 dias e o nosso inverno “quase” 2000 anos dos seus. Explicado? Então…

-Lá no sul (lá, na Antártida) a força gravitacional do nosso planeta agravou a mudança climática e blocos de gelo começaram a se deslocar em direção ao norte do planeta.  Derretendo, houve elevação progressiva do nível do mar, o que, obrigava a contínua mudança para locais mais elevados dos continentes, mas isso não foi problema tão grave assim porque o pior mesmo, aconteceu quando um gigantesco bloco começou a se descolar do alto de uma das  plataformas de gelo.

Diante de uma situação de extrema gravidade, a informação foi passada na reunião do Conselho dos 7. Procedimentos para abandono do planeta foram determinados ao mesmo tempo que  exigia-se que nada á respeito se dissesse á humanidade.

No Conselho dos 7 que Decidem, vários de nós eram contra, mas perante Enlil, houve a omissão. Eu, salvei vocês e dizem que foi o meu irmão. Isso, sinceramente eu digo: É uma tremenda sacanagem. Aquela história em Gen. (VI, VII…) tem que sofrer uma revisão mas, quem  se atreve?

– A um dos humanos,

o que eu mais confiava,

o que extremamente sensato era,

um artifício utilizei,

o sagrado juramento,

eu subvertí. Profanei.

eu alertei pela parede junco,

por Atra Hasis chamei,

ao meu Oficial Naval,

á vida de Atra Hasis,

e a dos dele, a Puzu Amurru, confiei,

á eles, por gratidão,

potente nave, ofertei.

 

  …Não foi a chuva, repito: foi uma imenso bloco de gelo que se desprendeu do alto da plataforma e se chocou com o mar provocando um mega tsunami, que impiedoso, arrasou tudo o que existia abaixo da Linha do Equador e provocou danos incalculáveis no que estava acima.  A humanidade que sobreviveu foi a que ocupava regiões mais elevadas, as divindades que pereceram foram as que ocupavam áreas litorâneas, e tenho que dizer isso porque na plataforma (ainda que imensa!), não havia espaço para todos. Fugimos por Baalbeck, que ainda está lá (no Líbano!) e era nossa principal base de lançamentos ao espaço, era comandada por Shamash. A outra, nas terras de Sin (no Sinai), foi destruída quando Nergal (também conhecido como Erra), juntou-se, aliou-se a Ninurta, a Sin, a Ishtar, a Adad  para dar combate a Marduk e Nabu (na Bíblia, Nebo) pelo domínio total da Terra. Os conhecedores sabem que Nergal, Nabu e Marduk são meus filhos (tenho outros),  que Ninurta, Adad e Sin são filhos de Enlil.

Ah, sim, eles somente voltaram quando as águas baixaram e elas, não baixaram totalmente e eu, ainda tenho que aturar a maioria que vive dizendo que eu sou o deus da mentira, enquando, são vários os restos de cidades submersas, relativamente distantes do litoral.

 

11- QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?

Lúcifer : Meu objetivo maior é afastá-los de Deus. Eu estimulo a praticar o mal e confundo suas idéias com um mar de filosofias, pensamentos e religiões cheias de mentiras, misturadas com algumas verdades. Envio meus mensageiros travestidos, para confundir aqueles que querem buscar a Deus. Torno a mentira parecida com a verdade, induzindo o homem ao engano e a ficar longe de Deus, achando que está perto. E tem mais. Faço com que a mensagem de Jesus pareça uma tolice anacrônica, tento estimular o orgulho, a soberba, o egoísmo, a inimizade e o ódio dos homens. Trabalho arduamente com o meu séquito para enfraquecer as igrejas, lançando divisões, desânimo, críticas aos líderes, adultério, mágoas, friezas espirituais, avareza e falta de compromisso (ri às escaras). Tento destruir a vida dos pastores, principalmente com o sexo, ingratidão, falta de tempo para Deus e orgulho. [1Pedro 5:8; Tiago 4:7; Gálatas 5:19-21; 1 coríntios 3:3; 2 Pedro 2:1; 2 Timóteo 3:1-8; Apocalipse 12:9]

Ah, de novo, não!

Nunca tracei nenhuma estratégia para destruir nada. A História sabe que eu sou um construtor. Faz vergonha mentir assim.

Isso aí, essa concepção de deus, de céu, de inferno, de juízo punitivo em nada correspon-de á realidade. É lamentável, mas a divina verdade que vocês adotam está muito distante do que é realidade e isso me obriga a dizer: foi fundamentalizada na mentira inculcada nas vossas mentes por fundamentalistas gananciosos, pervertidos, mesquinhos e avarentos que a pregam em nome de uma pretensa salvação. Isso nunca beneficiou a humanidade e esse é o grande problema de vocês. Leiam, Estudem e tentem aprender o máximo possível, afinal de contas, essa é a única forma de se vencer a barreira da mediocridade. Até vos digo. Eu venci e só por isso até hoje eu sou penalizado ainda que reconheça que não sou esse “santinho” todo. Ah, eu ia me esquecendo…

Quando as águas baixaram retornamos á Terra. Eu nem conto o que meu irmão quis fazer com vocês, e mais uma vez, adivinhe (dou 12 cervejas se…) quem salvou pele de vocês? Adivinhe com que tipo (dou outras 12 vezes 12 cervejas se…) de argumentação?

-De verdade (ali em Gen. IX) é o fato de ele ter abençoado vocês. Indubitavelmente, essa é uma verdade bíblica!

 

12- E SOBRE O FUTURO?

Lúcifer : (com o semblante de ódio) Eu sei que não posso vencer a Deus e me resta pouco tempo para ir ao lago de fogo, minha prisão eterna. Eu e meus najos trabalharemos com afinco para levarmos o maior número possível de pessoas conosco.

 [Ezequiel 28:19; Judas 6; Apocalipse 20:10,15]

De novo, novamente? Aí dói! Que futuro?

-Ainda que eu tenha as bolas, devo admitir que em função do tempo elas estão um tanto sem moral. No entanto, asseguro que elas não são de cristal.

Se querem saber o futuro, procurem pela Madame Beatriz. Se querem o passado, estudem a história doa povos e suas civilizações. Estudem com atenção, aprendam com o tempo, porque é ele quem nos ensina. Estudando talvez vocês descubram o óbvio: A história dos antigos não pode ser ocultada, não pode ser deturpada para depois ser imposta como mérito de uma cultura dominante. Essa forma equivocada de pensar e agir, jamais colaborou para a evolução espiritual de nenhuma espécie. O meu irmão sabe disso. Você pode falar com ele.

 

POSSO

Não vejo porque não!

 …PUBLICAR ESSA ENTREVISTA?

Espero que possa. Muito obrigado pela oportunidade.

OK. EU É QUE AGRADEÇO.


Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Nada é mais engraçado que uma Copa do Mundo

 

                                                                             IV

Pelo menos para nós, brasileiros, perder Campeonato  Mundial de Basquete, Vollei, Automobilismo, Tênis, Judô ou Caratê não comove tanto quanto perder uma “Copa”. Copa é automático, todo mundo sabe que é a do Mundo. Geneticamente, se sabe que o evento está associado ao famoso esporte aperfeiçoado nas terras da Grã-Bretanha e muitas vezes, atrelado de forma direta ao que acontece no mundo da politica. 

-Em 1966, em 13 de setembro,  atacando frontalmente os interesses dos trabalhadores o governo instituiu o FGTS. Constituido a partir de depósitos mensais, efetuados pelas empresas em contas específicas e individualizadas em nome de seus funcionários, no valor correspondente a 8% das remunerações pagas ou devidas constituindo-se em uma poupança disponibilizada na ocorrência da demissão imotivada, aposentadoria e falecimento do trabalhador que anteriormente, após um ano de serviço, passava a ter direito a uma uma indenização correspondente ao valor de um mês de salário para cada ano laborado, sendo que após 10 anos, essa indenização tinha seu valor duplicado a menos que a demissão se desse por justa causa.  

 Ainda que o Fundo esteja voltado para o financiamento de habitações, assim como para investimentos em saneamento básico e infra-estrutura urbana gerando empregos na construção civil, possibilitando os trabalhadores ganhos indiretos decorrentes da ampliação da oferta de moradias ou até mesmo melhoria na qualidade de vida, não há como deixar de ver que o FGTS implica em prejuízo líquido e certo para o trabalhador haja vista que como encargo adicional gerado para as empresas, por ocasião da sua implantação, teve impacto de apenas 2,8%, porque a contribuição de 8% para o Fundo foi compensada com a extinção de outras contribuições até então existentes.

Afora o detalhezinho acima, existe ainda o fato da tal contribuição guardar proporcionalidade com a indenização prevista na CLT, permitindo, assim, que a empresa efetive a cobertura parcelada da indenização a que teria direito o trabalhador, quando de seu desligamento, o que, não pode dede ser considerado, também, como um benefício para o empregador.

 Como o Brasil é o país da treita e da mutreta os patrões viviam alegando que essa indenização tinha um valor muito elevado, por isso antes de completarem o decênio promoviam a famosa limpeza do quadro, onde, o trabalhador, na maioria das vezes, saía com uma mão na frente e outra atrás, sendo obrigado a reclamar seu direito na Justiça do Trabalho. Quando não, abria mão da mesma em troca da admissão como novo, prática que persiste vergonhosamente nesses dias de hoje.  

Muitas vezes o trabalhador só descobre que os depósitos deixaram de ser feito quando se qualifica como desmempregado. Muitas vezes o trabalhador “abre mão” do FGTS (e da multa por demissão imotivada) para ser recontratado e não raro, logo ser dispensado. Apenas isso ocasiona perdas para o Fundo, cuja estimativa de valores, são da ordem de 80 bilhões de reais. Outros  “issos e aquilos” contabilizados até em janeiro de 2010 bem traduz as perdas do Fundo: 197 bilhões de reais. Por aqui, uns sabem que eu falei antes. Outros, pouco estão se importando com o que factualmente acontece com o trabalhador desse país. Fazem de conta…

-Ah sim, a Copa…

Tivemos que disputar eliminatórias com obrigação de vencer e vencemos. A disputa direta nos deu a Jules Rimet em definitivo porque até 1970 somente o Tri-campeão Mundial ficava em definitivo com o cobiçado troféu, aí não ia ter graça nenhuma perder. A graça aliás poderia ter ficado por conta do Presidente Médici, que irritado com uma suposta frase de João Saldanha, retirou deste o comando das Feras, poderia tambem, se não fosse os Bobby, Moore e Chalton, envolvidos numa história esquisita quando o English Team se encontrava na Colômbia para a realização de amistosos-teste: os dois foram acusados de roubo no hotel em que estavam hospedados. Moore, inclusive, foi submetido á prisão domiciliar sendo liberado provisoriamente para disputar a Copa e posteriormente, as acusações foram retiradas sem que se saiba até hoje se houve mesmo o roubo, ou se tudo não passava de uma armação para desmoralizar os ingleses e divulgar o Hotel Tequendama e sua joalheiria.

 Outra estória dessa Copa, pior; foi a guerra entre Honduras e El Salvador. Conhecida como a Guerra do Futebol, na verdade nada  teve a ver com o futebol e sim com a manipulação política durante as “eliminatórias” que (como sempre) qualifica para a disputa aquele com maior número de pontos.

Na época, os dois países viviam um clima de hostilidade motivada pela posição de El Salvador no Mercado Comum Centro Americano, por disputas fronteiriças entre os dois países e por uma reforma agrária implementada pelo governo hondurenho, que sob o pretexto de distribuir terras para o povo, queria na verdade expulsar agricultores salvadorenhos do país. Promovendo a desgraça, a mídia hondurenha se encarregou de exaltar o nacionalismo para que em oito de Junho de 1969,  a hostilidade extremada os obrigasse a  perder por 1×0 em Tegucigalpa. Sete dias depois, em San Salvador, os hondurenhos receberam tratamento igual e foram derrotados por 3×0.  Diante da situação, a “negra”, teve que ser disputada em campo neutro (no Estadio Azteca, na Cidade do México, em 27 de junho de 1969) no qual, os hondurenhos foram vencidos por 3×2. A derrota, intensificou o ódio aos salvadorenhos, que em Honduras se instalaram devido a escassês de terra associada ao crescimento populacional em seu pais de origem, A guerra, iniciou-se em 14 de julho quando Honduras com um Exército de 12.000 homens e outros 1200 na Força Aérea teve que dar enfrentamento aos 21000 das forças conjuntas de El Salvador, que certamente justificou o ataque como uma ação de defesa de interesses do seu povo.

 Do confronto de quatro dias, fala-se em 6000 baixas, havendo quem diga que estas totalizavam 4000 ou até mesmo 2000 (a maioria, como na maioria das vezes, diga-se de passagem, civis), sabe-se que não houve vencedores e que a intervenção da OEA, pôs fim ao conflito, no qual, o material bélico não passava de sucata americana da Segunda Guerra Mundial. Uma beleza de material…

 

-Por aqui, em 31 de agosto, por motivo de saúde Arthur da Costa e Silva (sucessor de Castelo Branco) teve que sair do governo e face a desconfiança em relação ao “vice” Pedro Aleixo, uma junta de ministros militares assumiu o restante do mandato. Antes, Costa e Silva criou o Mobral (Movimento Brasileiro de Alfabetização) e a Funai (Fundação Nacional do Índio) ainda que decretasse o já citado AI-5 que entre outras: lhe conferia poderes para impor recesso nas várias instâncias parlamentares do país (principalmente o Congresso Nacional!), extinguir  direitos individuais e  políticos,  instituir a repressão generalizada e,  instalar mecanismos de censura aos meios de comunicação.

  Por seu turno, nos dois meses que assumiu a república, a Junta Militar (31 de agosto/30 de outubro) instituiu a pena morte a prisão perpétua como punição para Guerra Revolucionária como ficou conhecida resistência armada por setores oposição. Instituiu ainda o Decurso de Prazo, um mecanismo extremamente autoritário, no qual, o decreto governamental não votado no prazo de 45 dias entrava automaticamente em vigor bastando para isso que parlamentares governistas, mesmo em minoria, se ausentassem e assim, garantissem a insuficiência de quorum. Por fim, indicou Emilio G. Médici para o Congresso eleger como presidente em 25 de outubro… 

 -Lá, na Copa, os hondurenhos devem ter se pocado na risada: estreando no Mundial, Em três de junho de 1970, El Salvador levou 3×0 da Bélgica e quatro dias depois, tomou uma sombrerada mexicana traduzida em 4×0. Para completar o “desempenho”, em dez de junho de 1970 foi para casa levando mais 2×0 da finada União Soviética enquanto o Brasil em peso, festejava a passagem para as Quartas de Final em cima da Romênia, que por 3×2, caiu diante de Pelé e um notável Jairzinho, que antes, ferrando os ingleses com um memorável 1×0, já tinha ajudado Pelé e Rivelino a estraçalhar a Tchecoslováquia por 4×1. Nada como futebol e carnaval para aliviar as dores de um povo sofrido…

-Nas “Quartas”, sobrou para o Peru porque no primeiro tempo Rivelino fez um e Tostão outro compensado por Gallardo. No segundo, Tostão fez mais um compensado por Cubillas e aí, Jairzinho foi “lá” marcar o dele. O Resultado: Brasil 4×2. Nas Semifinais, o Cubillas (s?,?s) da Seleção do Uruguai fez 1×0 e até o finzinho do primeiro tempo, pensando em Gude Preso, não viram Clodoaldo empatar para que na etapa complementar, Jairzinho e Rivelino se encarregassem de eliminá-los: Brasil 3×1 com a obrigação de vencer o outro finalista que por ter eliminado os anfitriões por 4×1 e a Alemanha de Gerd Muller e Franz Beckenbauer por 4×3, sem porquês que o justificasse, queria porque queria ficar para sempre com a Jules Rimet. Nem era justo: na fase inicial, se qualificaram ao vencer a Suécia por 1×0 e sem gol, empataram com o Uruguai e Israel. Se fosse, não ia ter como…

– Durante toda a competição, a hospitalidade mexicana fez com que a cidade de Guadalajara se transformasse num território futebolístico do Brasil, no qual, o Jalisco figurava como Estádio Oficial. Ali retribuímos a hospitalidade e ainda fizemos justiça em 21 de junho de 1970: nos primeiros 18 minutos Pelé fez 1×0 e Boninsegna empatou aos 37 para que segundo tempo Gerson (aos 20), Jairzinho (aos 25) e Carlos Alberto (aos 42) fizessem a festa em cima dos italianos, que muito a contra gosto, se conformaram com os 4×1 e com o título de Vice Campeão Mundial de Futebol de 1970.

Todo mundo sabe que os heróis do Tri desfilaram em carro aberto, que o Presidente ergueu a taça e que o então prefeito (1969/1971 e 1993/1996) de São Paulo (com dinheiros do estado, claro!) deu um carro para cada craque. Empresário e engenheiro, ex presidente da CEF (1967/1969), ex-Secretário de Transportes (1971/1975), ex-governador (1979/1982), ex- (1983 e 1987) e atual Deputado Federal, eleito com mais de 700.000 votos é a síntese do mau exemplo de homem público: além de procurado pela Interpol, em várias instâncias judiciais do Brasil responde por de  crime ambiental,  improbidade administrativa e casos vários de desvios de verba pública, como no caso do Frangogate, que inclusive, motivou juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo a enquadrá-lo na Lei da Ficha Limpa vetando sua candidatura à reeleição ( Brasil Atual, 24 de agosto de 2010). Pode parecer engraçado…

 

Publicado em Politica | Deixe um comentário

Olá, mundo!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

Depois eu continuo com o futebol…

Se se estressar, é ignorante. Se não se estressar, é palhaço…

Já me faz quase um ano que ao retirar certa quantia numa determinada Instituição Financeira Federal, houve um problema com o terminal, o que, resultou a não liberação da importância. Coisa besta, um terminal eletrônico de banco com problema, me dirigi ao próximo em sequência e saquei a importância devida. Desconfiado, enfiei novamente o cartão na máquina solicitando da mesma um extrato, o que, a distinta prontamente forneceu. Verificando a movimentação, sem duplo sentido, lá estava o saque, em duplicidade, de R$500,00.

Procurando o gerente, este foi solícito em me atender e, me informar que o problema somente poderia ser resolvido na agência na qual a minha conta estava cadastrada, o que, me obrigou a argumentar…

– Meu amigo, o problema tem que ser resolvido aqui nesta Agência porque o terminal com defeito está instalado aqui. Argumentando mais, alertei que o movimento financeiro do problemático terminal iria fechar com saques fictícios e que isso poderia ser verificado in loco.

O solícito gerente sabia que o terminal estava com problema porque outro cliente tinha acabado de conversar com ele a respeito do mesmo problema, que, se houvesse boa vontade, poderia ter sido resolvido de imediato. De notória inflexibilidade, ele somente fez questão de não ser solícito…

-“Esse problema só pode ser resolvido na “sua Agência””!

– E eu, nem “Agência” tenho, mas como era uma Sexta-Feira, e Sexta-Feira não é dia de ninguém andar se estressando, peguei meu extrato, que, como em toda Instituição Financeira, é impresso com a revolucionária TRA, e “sartei” fora, afinal de contas, Sexta-Feira não é dia de ninguém se estressar!

-Segunda-Feira. E lá vou eu falar com o Gerente da Agência da Instituição Financeira Federal, a qual, a minha conta é cadastrada…

-Meu amigo, bom dia! É que na Sexta Feira passada eu fui fazer um saque com o meu cartão e…

…Fale com aquela Gerente ali, esse tipo problema é ela quem resolve!

-Minha senhora, bom dia. Aquele Gerente ali mandou que eu falasse com a senhora. É que na Sexta-Feira passada eu fui fazer um saque e o terminal…

… Não vou poder resolver agora. Estou resolvendo um problema de um cliente e…

-Mas minha senhora, eu também sou cliente. É que na Sexta-Feira passada eu fui fazer um saque com o meu cartão e…

…Tudo bem, Fale com aquele Gerente ali, ele é o Geral!

-Mas minha senhora, eu já falei com ele, e ele, foi quem me mandou que eu falasse com a senhora!

…Huuuuuummm, vamos ver o que de fato aconteceu…

É que na Sexta-Feira passada eu fui fazer um saque com o meu cartão e…

…Foi aqui?

– Não senhora, foi na Agência da…

… Se fosse aqui! Nesse caso o senhor tem que comunicar o fato ao Gerente da Agência na qual ocorreu o problema!

– Minha senhora, eu falei com o Gerente da Agência e ele me disse que esse problema somente poderia ser resolvido na “minha” Agência, é só por isto que estou aqui!

… Bem, de próprio punho, me faça um Boletim de Ocorrência, e me forneça um extrato da sua conta para que possamos averiguar o ocorrido. Nesses casos nossa Instituição Financeira estorna o valor para a conta do cliente no prazo máximo de 36horas.

Como Segunda-Feira não é dia de ninguém se estressar, esperei a Terça-Feira chegar e lá me fui para a Instituição Financeira Federal, na qual a minha conta é cadastrada…

-Bom dia, minha senhora. Eis aqui o Boletim de Ocorrência, eis aqui o extrato. Nele não consta estorno dos R$500,00 que seria estornado depois da Ocorrência registrada neste Boletim de Ocorrência. Esse extrato registra os últimos lançamentos na minha conta e, abrange as últimas 36 horas após o problema que motiva o presente Boletim de Ocorrência.

…Huuuuuuuummm, Huuuuuuummm. Você vai ter que conversar com o Gerente Geral. Esse problema aí, somente ele pode resolver!

-Meu amigo, aquela Gerente ali me mandou vir aqui porque esse problema somente o Gerente Geral pode resolver e o Senhor, é o Gerente Geral!

… É o que mesmo? É tanta gente aqui que ás vezes as coisas se complicam por aqui!

-Tudo bem. É o problema do terminal defeituoso que registrou um saque de R$ 500 sem que o mesmo se efetivasse…

…Ah, sim! Você fez o Boletim de Ocorrência de seu próprio punho? Tem o extrato do dia da ocorrência, tem um de 36 horas após a ocorrência?

-Tenho, está tudo aqui!

…Ok, me deixe o seu telefone. Eu me comunico com você tão logo resolvamos o problema!

-Tudo bem!

Como Terça-Feira não é dia de ninguém se estressar, nem Quarta, Quinta. Nem Sexta é dia de ninguém se estressar, passaram-se (passou-se????) várias Segundas, Terças, Quartas, Quintas e Sextas Feiras. Se alguém telefonou para você, tudo bem! Para mim não telefonaram, o que, me fez retornar á tal agência da Instituição Financeira Federal…

-Olá tudo bem? Eu queria falar com o Gerente Geral. É a respeito daquele problema do saque que não foi efetivado!

… Olha, ele foi transferido para outra agência. Fale com a Gerente Geral. É aquela senhora ali!

-Minha senhora, bom dia. Tudo bem? É que quase há um ano atrás, eu fui fazer um saque e o terminal não efetivou o mesmo porém, registrou como se eu o tivesse feito!

…Tanto tempo para resolver isso! Meu amor, eu resolvo o seu problema, mas faça um Boletim de Ocorrência de próprio punho, assine. Traga também um extrato com a movimentação da sua conta 36horas depois da ocorrência. Em 48 horas resolvo tudo. Vá meu amor, eu estou aqui para ajudá -lo!

-Mas minha senhora! Novamente! Tudo de novo! Já fiz tudo que a senhora pediu que eu fi-zesse, já redigi, já trouxe os extratos, já falei com o Gerente que estava aí onde a senhora está agora. Já falei com a Gerente que está ali, no lugar daquela Gerente que está no lugar que a senhora estava! Aí, já é demais, já é abuso, mas, hoje é Sexta-Feira e Sexta-Feira não é dia de ninguém se estressar. Na Segunda eu trago o Boletim de Ocorrência. Quanto aos extratos, somente vou trazer as cópias, que aliás, somente fiz porque eles utilizam a TRA…

…precisa não, meu amor! Dá prá tirar aqui no computador!

Poi Zé!

-Butei minhas merreca na Instituição Financeira privada (que aliás nunca me estressou) e agora fico me perguntando…

Se a Instituição Financeira Federal fosse privatizada, haveria manada de gerentes?

E eles, teriam mais respeito ao cliente? Teriam me "retornado" os meus $500,00

 * A T.R.A. (Tecnologia do Rápido Apagamento) é a impressão utilizadas em todas as instituições financeiras para que, evidentemente, em caso de necessidade nada possa ser comprovado…

Publicado em Gerais | Deixe um comentário